Sansão cometeu suicídio?

Considero que a morte de Sansão não pode ser considerada um suicídio, pelo seguinte:

1 – Sansão passou por duras provas em conseqüência de suas desobediências, mas no final clamou ao Senhor, voltou-se ao Senhor, indicando que se arrependeu (Jz 16.28). Se continuasse em pecado, se não tivesse havido sincero arrependimento, Deus não responderia, porque o pecado separa o homem de Deus. A restituição da força de Sansão é a prova de que Deus ouviu sua oração.

2 – Sansão não pediu para que Deus o ajudasse a cometer suicídio; pediu-Lhe o retorno de suas forças “para que de uma vez me vingue dos filisteus”. A vontade de Sansão coincidiu com a vontade de Deus, e por isso foi atendido. Se a intenção de Sansão fosse suicidar-se, Deus, que conhece o coração dos homens, não lhe teria atendido, pois somente Deus é Senhor da vida.

3 – O único objetivo no suicídio é tirar a própria vida. É um ato tresloucado, de desespero. A reconhecida valentia de Sansão não nos permite admitir que ele não desejasse lutar até o fim. Ao desejar recuperar as forças, ele na verdade estava desejando continuar na luta contra os filisteus. O seu ato foi de reação à agressão sofrida: arrancaram-lhe os olhos e obrigaram-no a trabalhos forçados. Não lhe importava se nessa vingança perdesse a vida. Ele não derrubou as colunas do templo para tirar a própria vida, mas para vingar-se, matando muitos de seus inimigos.A sua morte foi consequência.

4 – Ademais, se Sansão tivesse cometido o suicídio certamente não estaria entre os “heróis da fé”, “os quais, pela fé, venceram reinos, praticaram a justiça, alcançaram promessas, fecharam as bocas dos leões, apagaram a força do fogo, escaparam do fio da espada, da fraqueza tiveram forças, na batalha se esforçaram…” (Hb 11.32-34).

5 – Finalmente, entendo que a morte de Sansão assemelha-se a de um valente que não se entrega facilmente, e que prefere morrer no campo da batalha.
====

Amado Pastor Airton.

Gostaria de pedir-lhe mais uma ajuda. Pois estou para dar uma aula de EBD sobre o suicídio e ontem em conversação com o superintendente, outro professor e o Pastor, pude constatar que eles tem a mesma opinião e que a
minha seria contrária. Veja o caso:
Unânimes concordam que o caso da morte de Sansão não foi suicídio, antes foi um sacrifício, pois Deus tinha o propósito de usá-lo como juiz para libertar Israel dos Filisteus. Propósito este que não foi concretizado em vida, pois vemos que ele conseguiu apenas umas poucas vitórias isoladas. Porém em sua morte ele teria concretizado este propósito. Segundo eles, isto caracterizaria um sacrifício e não um suicídio, uma vez que Deus concedeu força para que ele concretizasse seu pedido. Para defender esta posição usam dois exemplos.
1 – Se uma granada for lançada dentro de uma igreja e o pastor se lançar sobre ela para que não detone a igreja toda, isto seria um sacrifício.
2 – Se um pai jogasse diante de um veículo para salvar seu filho, isto seria um sacrifício.

Em parte concordo com que Sansão não conseguiu concretizar os propósitos de Deus em vida, mas não concordo que o tenha feito em sua morte, pois acho que naquele templo não estaria toda a nação filisteia.
Também creio que a morte de Sansão foi um suicídio, pois suicídio é o ato de tirar a própria vida (e foi isso o que ele fez). Quanto ao pastor herói e o pai desesperado, minha posição é que eles metaforicamente fizeram um sacrifício por darem suas vidas em favor de outras vidas , porém cometeram suicídio por terem tirado suas vidas deliberadamente.
Pelo amor de Deus, QUAL A SUA OPINIÃO?
Grato,
Ricardo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *