Princípios Cristãos versus Ideologia Comunista

“Revesti-vos, como eleitos de Deus, santos e amados, de entranhas de misericórdia, de benignidade, humildade, mansidão, longanimidade…” (Cl 3.12).
A diplomacia brasileira, pela voz do Presidente, revelou que, quando o Brasil tem por meta melhorar a balança comercial, os princípios morais e éticos, e a solidariedade humana ficam em segundo plano. Vê-se que está em pleno vigor a “lei” não escrita de Gérson”: “Levar vantagem em tudo”.

Alguns episódios dão sustentação a esse raciocínio.
(1) Eis a notícia, FolhaOnline, de 10.3.2010: “O presidente Luiz Inácio Lula da Silva pediu respeito às decisões do governo de Cuba e condenou o uso da greve de fome por dissidentes como instrumento para que eles sejam soltos, comparando-os a criminosos comuns durante entrevista à agência Associated Press.

“Temos de respeitar a determinação da Justiça e do governo cubanos. A greve de fome não pode ser um pretexto de direitos humanos para liberar as pessoas. Imagine se todos os bandidos presos em São Paulo entrarem em greve de fome e pedirem liberdade”, afirmou”.

No que concerne aos direitos humanos, o governo cubano não merece nenhum respeito. Comparar presos políticos a criminosos comuns; declarar que o governo brasileiro não deve se intrometer em questões internas de outros países é admitir que o Brasil não dá ouvidos a qualquer apelo de ajuda humanitária vinda de prisioneiros de outras nações, ainda que os governos desses países sejam reconhecidamente ditadores e fuzilem opositores, sem piedade.

(2) Em janeiro/2007, o governo brasileiro providenciou imediata deportação de dois pugilistas cubanos, campeões mundiais de boxe, que queriam ser acolhidos no Brasil, para se livrarem da ditadura de Fidel. O povo cubano não tem o direito de ir e vir, de manifestar livremente seu pensamento, como acontece nos países democráticos. Só Deus sabe o que aconteceu com referidos pugilistas.
Os fatos se sucedem. Tais atitudes são ressonância das decisões do Foro de São Paulo, “um encontro de partidos políticos e organizações não governamentais de esquerda da América Latina e Caribe”.
O primeiro encontro foi em São Paulo, em 1990. Uma das diretrizes: “Elaborar estratégias para fazer face ao embargo dos Estados Unidos a Cuba e unir as forças de esquerda latino-americanas”. Segundo a organização, atualmente mais de 100 partidos e organizações políticas participam dos encontros. É compreensível que esses parceiros defendam reciprocamente suas ideologias.
Assim, fica mais fácil compreender porque nas eleições para presidente dos países do Foro os companheiros de esquerda fazem visitas recíprocas e apoiam publicamente os companheiros.

Atos de misericórdia transcendem os limites geográficos. Ainda que venham do calabouço das prisões, os gritos de socorro devem ser ouvidos. Ajuda humanitária, socorro aos necessitados, defesa da justiça e o ideário democrático fazem parte dos princípios cristãos do povo brasileiro.
Os princípios que regem as ações políticas da esquerda, que tem Fidel Castro como ícone e morre de inveja das bravatas Hugo Chávez, são incompatíveis com os princípios cristãos. Não há no comunismo “entranháveis afetos de misericórdia”.
28.07.2010

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *