O Mito do Sexo Seguro

Fonte:
http://providafamilia.org/doc.php?doc=doc78807

OS PRESERVATIVOS NÃO ELIMINAM OS RISCOS
Utilizar preservativos para impedir o contágio da AIDS é como jogar um roleta russa, é colocar a vida em jogo. Em 1987, 20% dos preservativos submetidos a testes pela FDA (Administração de Drogas e Alimentos dos EUA) apresentaram defeitos, um número bem maior que o permitido. Segundo o Centro para o Controle de Doenças, de 3 a 36% dos preservativos falham e; não impedem a gravidez. O vírus da AIDS é 3 vezes menor que o vírus causador da herpes, 6 vezes menor que a treponema pallidum que causa a sífilis e 450 vezes menor que o espermatozóide. Se o preservativo permite tantas gravidezes indesejadas, imagine quantas vezes mais não deixará passar o vírus da AIDS? No que se refere à AIDS, os preservativos são eficazes apenas em 70%1.
Os preservativos apresentam, ainda, outros riscos. Há informações de graves reações alérgicas como inflamação, coceira e transtornos respiratórios2. Inclusive, segundo a FDA, em 1990, uma pessoa morreu como consequência de uma dessas reações3. Os preservativos, os diafragmas e outros contraceptivos de barreira podem predispor a mulher à pré-eclampsia, uma complicação da gravidez que, às vezes, pode resultar em morte4.
A herpes simplex II é extremamente contagiosa e não tem cura. 50% dos bebês cuja mãe contrai herpes morrem e os outros 50% podem nascer com lesões no cérebro, nas vistas ou na pele. A sífilis pode causar cegueira, paralisia, demência, infecções cardíacas e, às vezes, a morte. Quantas pessoas que contraíram estas doenças sexualmente transmissíveis pensavam que não corriam risco nenhum?
Lembre-se, algumas destas doenças são incuráveis, podem deixar você estéril, predispor ao câncer do útero e inclusive levá-lo à morte. Outras podem ser muito dolorosas ou irritantes. Todo ano, nos EUA, um de cada seis adolescentes contrai uma doença sexualmente transmissível. Mais de 100.000 bebês sofrem as consequências destas enfermidades, entre as quais se encontram a cegueira, infecções do cérebro, defeitos congênitos e até a morte5.

A PÍLULA É PERIGOSA
A pílula é particularmente perigosa para os adolescentes menores de 17 anos. Ela contém um poderoso hormônio que afeta a principal glândula encarregada de coordenar o processo de crescimento. A pílula pode impedir que seus ossos se endureçam como deveriam, pode deixá-lo estéril, pode impossibilitar você de engravidar futuramente quando desejar ter um filho, e pode causar flebites (inflamação nas veias) ou trombose (formação de coágulos nos vasos sanguíneos). Inclusive, de acordo com as investigações, a pílula reduz a acidez da vagina (que ajuda a combater os vírus) e debilita o sistema imunológico. Muitas infecções da bexiga e as herpes infecciosas não parecem ceder, a menos que a mulher infectada deixe de tomar a pílula6.
Tudo isso predispõe à mulher não só às infecções vaginais mas também às doenças sexualmente transmissíveis, inclusive a AIDS7. Por último, a pílula às vezes não impede a ovulação e causa abortos nas primeiras etapas da gravidez.

PARA QUÊ CORRER RISCOS?
Nos EUA há mais de 40 milhões de pessoas (na maioria mulheres e bebês) que contraíram doenças sexualmente transmissíveis5.
75% das mulheres e 15% dos homens que contraíram clamídia não apresentam sintomas. Esta doença pode causar danos a vista ou produzir pneumonia em um bebê recém nascido. Uma pessoa pode estar infectada por 2 a 6 meses, sem que apareçam os sintomas do vírus papiloma humano (HPV), que se acredita ser o causador do câncer de útero. A maioria das mulheres que contraem gonorréia (80%) não manifestam sintomas, e inclusive existe um novo tipo de gonorréia que a penicilina não pode curar. A mãe pode transmitir a doença ao bebê durante o parto e causar cegueira. Esta doença é a mais comum entre os jovens estudantes.
BIBLIOGRAFIA
1. Margaret Fischi, et al, “Evaluation…), Journal of the AMA e Washington Post, 6 de fevereiro de 1987.
2. Washington Times, 1 de novembro de 1990.
3. Los Angeles Times, 28 de maio de 1990.
4. Journal of the AMA, 8 de dezembro de 1989 e HLI Reports, fevereiro de 1990.
5. Carta da American Social Health Association, assinada por sua diretora executiva, Peggy Clarke.
6. The Doctor’s Case Against the Pill, Barbara Seaman, 1980.
7. Frances French. Living World, 1988, e Escoge la Vida, nov.-dic. De 1991.

RAZÕES PARA VIVER A CASTIDADE

1. Você nunca terá que se preocupar com uma gravidez nem com a vergonha de ter que dizer aos seus pais. Comunicar uma gravidez é uma alegria, mas quando se está casado.
2. Você nunca terá que se preocupar em contrair, por via sexual, a AIDS e outras doenças sexualmente transmissíveis, algumas incuráveis.
3. Você aprenderá a exercer o autocontrole que aumentará a sua força de vontade, e você se sentirá bem consigo mesmo quando você não cede às pressões que lhe cercam.
4. Você dará bom exemplo. Assim você estará contribuindo para construir um mundo melhor.
5. Você estará protegendo sua própria reputação. Para conquistar um bom esposo ou esposa você necessita ter uma boa fama.
6. Você saberá com segurança se é um amor verdadeiro ou se só querem o prazer que seu corpo pode proporcionar.
7. Você poderá canalizar suas energias juvenis para atividades que contribuam para o seu desenvolvimento e amadurecimento, tais como: os estudos, o esporte, a música, a leitura, a pintura, o serviço aos necessitados, os grupos jovens, as gincanas, o grêmio de sua escola, associação em clubes comunitários, etc.
8. Você aprenderá a conhecer o verdadeiro amor. Saberá distinguir entre o amor verdadeiro e o impulso ou atração sexual. O ato sexual é algo espontâneo e breve (um encontro de uma noite). O amor necessita tempo para crescer e durar para sempre, que é o que todos queremos. O verdadeiro amor nunca é desesperado, é sim aquele que sabe esperar.

COMO DIZER NÃO?
A pesar de alguns quererem nos fazer crer o contrário, muitos adolescentes inteligentes têm decidido não ter relações sexuais antes do casamento (pré-matrimoniais). Não é fácil, mas é assim que acontece com as coisas que valem a pena na vida. Se você quer triunfar na vida, nos seus estudos, no trabalho, no esporte, no domínio de um instrumento musical, deve esforçar-se.
DIZER NÃO ÀS RELAÇÕES SEXUAIS PRÉ-MATRIMONIAIS VALE A PENA.
Você poderia dizer:
– “Eu gostaria muito, mas realmente não estou preparado para ter relações sexuais”.
– “Não quero ter relações sexuais até que me case. Prefiro esperar”.
– “Desfruto de sua companhia mas não creio que tenho idade suficiente para ter relações sexuais”.
– “Não tenho porque dar-lhe explicações de não querer ter relações sexuais. Simplesmente é esta a minha decisão, nada mais”
– “Decidi não ter relações sexuais, sendo assim, por favor não me pressione”.
– “Se você realmente me quer, respeite minha decisão de esperar”.
Qual seria sua resposta?
Pense bem e tenha personalidade.
Preserve sua dignidade de pessoa… assim você poderá respeitar a dignidade dos outros.

SOU UMA JOVEM RESPONSÁVEL

Meus beijos valem mais que uma festa ou um cinema.
Meu corpo é templo de Deus, não um brinquedo.
O primeiro “Não” poderá ser difícil, depois será mais fácil.
A virgindade continua sendo uma virtude, a luxúria continua sendo um pecado capital.
Minha maneira de vestir, agir e falar podem ser uma tentação para meu namorado. Observarei a modéstia pelo bem de nós dois.
Meus pais têm feito muito por mim, comportar-me-ei de modo que sempre eles se sintam orgulhosos de mim.
Meu namorado será, também, algum dia um esposo e pai de família; deverá ser um herói aos olhos de sua esposa e filhos. Não farei nada que possa impedi-lo disso quando sairmos juntos.
Quero ser esposa e mãe algum dia, conservarei minha pureza e meu carinho para meu esposo e filhos.
Se algum dia eu falhar e vier a engravidar, não tomarei o caminho fácil, não abortarei o meu filho.

SOU UM JOVEM RESPONSÁVEL

Os pais de minha namorada confiam em mim, não quero decepcioná-los.
Respeitarei minha namorada como espero que outros homens respeitem minha irmã.
Respeitarei sua feminilidade porque minha mãe é mulher.
Não pedirei a minha namorada que faça algo de que possa me envergonhar se minha mãe vier a saber.
Minha namorada tem me dado a honra e o prazer de sua companhia; não é correto que eu espere mais que isso.
Minha namorada será esposa e mãe algum dia. Ela deverá ser um exemplo para seus filhos e o orgulho de seu esposo. Eu a ajudarei ser tão pura e decente como eu quero que minha esposa seja.
A ombridade é constituída tanto pelo caráter como pelo físico. Perder o controle de si mesmo é sinal de fraqueza, quero que ela saiba que sou um homem.
Deus está em todas as partes, Ele tudo sabe, tudo vê. As coisas que faço escondido, poderão ser escondidas das pessoas, mas nunca aos olhos de Deus.
Se por minha fraqueza eu engravidar alguma jovem, não vou pressioná-la a fazer um aborto.

LEMBRE-SE
Não dê bolas às pressões dos filmes, novelas, música, amigos e amigas que lhe induzem a relações sexuais antes do casamento. Não se engane. Sua vida é muito preciosa para você, para os que lhe querem bem e para seu país. Não deixe ninguém lhe enganar para que você não engravide sem estar casada, e nem aborte, e não contraia doenças sexualmente transmissíveis e AIDS. Em toda relação sexual existe a possibilidade de uma gravidez. Esta responsabilidade não é para você agora. Este tempo é para seu amadurecimento, para você terminar seus estudos.
Não caia em armadilhas que comprometam seu futuro. Para que você escolha o que quer da vida, você necessita ser LIVRE.
Para obter cópias deste folheto, entre em contato com a:
ASSOCIAÇÃO NACIONAL PRÓ-VIDA E PRÓ-FAMÍLIA
SQS 203 Bl. C Apto. 204
Brasília – DF
70.233-030
Tel (61) 224-9692 – Fax: (61) 223-8497 – http://providafamilia.org
(Traduzido do Espanhol com autorização
de Vida Humana Internacional,
4 Family Life – Front Royal, Virginia 22630 U.S.A – http://hli.org – http://vidahumana.org)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *