O Anticristo

 

  • Quem é: Anticristo significa “opositor de Cristo, “contra Cristo”. Também chamado de “a besta que subiu do mar” (Ap 13.1); “filho da perdição, homem  do pecado” (2 Ts 2.3-4) ;  “a besta escarlate” (Ap 17.3); “a besta” (Ap 17.8,16); “o homem violento” (Is 16.4); “o príncipe que há de vir” (Dn 9.26); “o rei do Norte” (Dn 11.40); “o angustiador” (Is 51/13) ; “o iníquo” (2 Ts 2.8); “o mentiroso” (1 Jo 2.22); “o enganador” (2 Jo v7); “um rei feroz de cara” (Dn 8.23); “a ponta pequena” (Dn 7.8). O Anticristo será um homem como outro qualquer, nascido de mulher, porém a serviço de Satanás.
  • Predição: “Ninguém de maneira alguma vos engane, pois isto não acontecerá sem que antes venha a apostasia, e se manifeste o homem do pecado, o filho da perdição” (2 Ts 2.3,4,8; Dn 8.23; 9.26;  1 Jo 2.18; Ap 13.1-8).
  • Quando e como surgirá: A presença da Igreja na Terra e a consequente ação do Espírito Santo têm impedido, nos dias de hoje, a plena manifestação do Anticristo (2 Ts 2.6-7). Todavia, após o arrebatamento da Igreja, e diminuída a influência do Espírito – tudo de conformidade com o plano de Deus -, a raça humana descerá a um nível de depravação jamais visto: desprezo aos valores éticos e morais; violência sem limites;  liberdade e perversão sexual; ocultismo;  falta de amor. Ademais, o desaparecimento repentino de milhões de crentes, em face do arrebatamento, causará grande perplexidade e temor. Haverá uma desorganização geral em todos os níveis da atividade humana, além de gigantescos desastres e muitas mortes.  Exemplos: muitas aeronaves ficarão sem comando porque seus comandantes foram arrebatados em pleno vôo; muitos acidentes aéreos, porque os controladores de voo desaparecerão; engarrafamentos, batidas e mortes nas estradas e nos grandes centros urbanos, porque muitos veículos ficarão repentinamente desgovernados; milhares de empresas comerciais e industriais, pequenas e grandes lojas ficarão com um número reduzido de empregados; grande desfalque também de servidores nas repartições públicas; os serviços públicos, tais como bombeiros, limpeza e comunicações serão afetados. Por outro lado, inúmeros imóveis residenciais, igrejas e lojas  ficarão abandonados; presos fugirão dos presídios e os saques se multiplicarão. Os governantes não terão meios de colocar as coisas em ordem. Ninguém será capaz de explicar a causa do repentino desaparecimento de parentes e amigos. Caos total. Convulsão social.   É nesse contexto que surgirá um homem muito inteligente, com respostas inteligentes e prometendo soluções práticas para todos os problemas. Esse homem é o Anticristo.  Convém dizer que a iniquidade vem crescendo assustadoramente em todo o mundo.  A imaginação do homem é pródiga em descobrir novas fórmulas de se tornar mais indigno, mais impuro,   imoral,  cruel e depravado. “E, por isso, Deus lhes enviará a operação do erro, para que creiam na mentira, e para que sejam julgados todos os que não creram na verdade, antes tiveram prazer na iniquidade” (2 Ts 2.11-12).  Mas essa rebeldia ainda não chegou no limite de Deus. Ninguém sabe qual seja  esse limite. Sabe-se, todavia, que o fim virá. O castigo virá no tempo de Deus, tal qual ocorreu nos tempos de Noé e de Sodoma e Gomorra.

4) Suas atividadesA manifestação do Anticristo na Terra durará sete anos, e suas atividades nesse período estão divididas em duas fases como a seguir:

  1. PRIMEIRA FASE – No início do período de sete anos, o Anticristo, sob a máscara de um político inteligente e poderoso,  fará uma aliança com Israel por sete anos – e, por extensão, com as demais nações -, em que prometerá prosperidade, segurança e paz, tendo em vista a situação caótica mundial: “Ele confirmará uma aliança com muitos por uma semana…” (Dn 9.27-a).  De fato, o mundo experimentará boa recuperação na metade dos sete anos. Fome, guerras, peste e violência parecem solucionados diante da dinâmica atuação desse “salvador” da pátria, a quem muitos passam a admirar. Certamente ele dirá que os crentes foram sequestrados por naves espaciais; que esse negócio de salvação através do sangue de Jesus é mentira; que a alma salva-se a si mesma; que todos são iguais a Deus, etc. Aliás, a mesma mentira que hoje é ensinada pelo movimento Nova Era e por tantas  seitas diabólicas.
  2. SEGUNDA FASE – Todavia, havendo transcorrido metade do tempo previsto no acordo, ou seja, passados três anos e meio de aparente paz, prosperidade e segurança, aquele político deixará cair a máscara e mostrará sua face e seus objetivos malignos: romperá a aliança com Israel; assumirá a posição de governante mundial com autoridade sobre todas as nações; anunciará ser ele o próprio Deus; profanará o templo em Jerusalém e ali colocará uma imagem sua para ser adorada;  proibirá a adoração ao Deus dos cristãos; perseguirá de forma sistemática e cruel seus opositores; perseguirá por 42 meses os fiéis a Cristo;  fará grandes milagres e maravilhas em razão do seu poder satânico, e, com isto, ganhará muitos admiradores.  Verifiquemos como a Bíblia relata essa fase:

“Ele confirmará uma aliança com muitos por uma semana [sete anos], mas na metade da semana [três anos e meio, 42 meses ou 1.260 dias] fará cessar o sacrifício e a oferta de cereais” (Dn 9.27). O Anticristo só admitirá culto de louvor e adoração a ele próprio.

“E proferirá palavras contra o Altíssimo, e destruirá os santos do Altíssimo, e cuidará em mudar os tempos e a lei…”(Dn 7.25). Por exemplo, não mais haverá liberdade religiosa.

“Este rei fará conforme a sua vontade, e se levantará, e se engrandecerá sobre todo deus, e falará coisas espantosas contra o Deus dos deuses, e será próspero, até que a ira se complete, porque aquilo que está determinado será feito. Não terá respeito aos deuses de seus pais, nem terá respeito pelo desejado das mulheres, nem a qualquer deus, porque sobre tudo se engrandecerá. Agirá contra os castelos fortes com o auxílio de um deus estranho, e aos que o reconhecerem multiplicará a honra, e os fará reinar sobre muitos, e repartirá a terra a preço” (Dn 11.36-39). Não medirá esforços para agradar aos que lhe derem apoio, mas perseguirá com crueldade os seus opositores.

“Ele se opõe e se levanta contra tudo o que se chama Deus ou é objeto de culto, de sorte que se assentará, como Deus, no templo de Deus, querendo parecer Deus. A vinda desse iníquo é segundo a eficácia de Satanás, com todo poder, e sinais e prodígios de mentira” (2 Ts 2.4,9).

O Diabo não tem feito outra coisa senão mentir e enganar os incautos. As operações cirúrgicas através de médiuns; as práticas esotéricas  e de  ocultismo em que as pessoas acreditam mais num cristal, numa pedra, numa água, num despacho,  do que no Deus Todo-poderoso, são uma prova de que o diabo consegue enganar muita gente e levá-las à perdição.

“… E deu-se-lhe autoridade para continuar por quarenta e dois meses…também foi-lhe permitido fazer guerra aos santos, e vencê-los. E deu-se-lhe poder sobre toda tribo, língua e nação. E todos os que habitam sobre a terra a adorarão [a besta], esses cujos nomes não estão escritos no livro da vida do Cordeiro que foi morto desde a fundação do mundo” (Ap 13.5,7,8).

Um “falso profeta” – denominado a “outra besta” – virá preparar o caminho do Anticristo; “fará grandes sinais, de maneira que até fogo faz descer do céu à terra, à vista dos homens”, e serão mortos os que não adorarem a imagem da besta” (Ap 13.11-14).

Muitos seguirão a besta porque não saberão distinguir o real do verdadeiro. Uma pessoa que faça cair fogo do céu será reconhecida como um deus. Hoje, por muito menos, pessoas são idolatradas. São os pais-de-santo, os feiticeiros, os lançadores de búzios, os bruxos modernos da leitura de mapa astral, da projeção astral,  e até as vozes do além que chegam através de médiuns.

O que lemos acima não chega a ser uma descrição   detalhada do caráter e objetivos do Anticristo, a cruel e sanguinária besta. Ele será muito pior. Vejam que Apocalipse 13.5 fala em 42 meses, ou 1.260 dias, ou três anos e meio, exatamente o tempo de Daniel 9.27 (“metade da semana”). Este período de três anos e meio será o mais negro e turbulento de toda a história da raça humana.  As mudanças que têm ocorrido no âmbito mundial dão-nos a convicção de  que aos poucos as peças do quebra-cabeça encaixam-se. Para a instalação de um forte governo único, mundial, igual ao futuro governo do Anticristo, faz-se necessário:

1) Uma só moeda:  Já temos a implantação de uma moeda comum   na Comunidade Europeia, o euro, que substituirá as moedas de onze  países.  A mesma ideia parece prevalecer para os países integrantes do Mercosul, na América Latina; há, também,  uma tendência de dolarização da economia em países em crise.  A unificação dos sistemas financeiros – uma só moeda, um controle único – é uma tendência mundial como resultado da criação de mercados comuns.

2) Uma só economia, um só mercado:   A globalização já é uma realidade.  Comunidade Europeia e  Mercosul, p. exemplo, são acordos com objetivos comerciais que ampliam e tornam o processo de globalização  irreversível. Na data em que escrevemos estas linhas (29.6.99) a União Europeia (países da Europa) e o Mercosul (países da América Latina) discutem os passos para implantação do livre comércio entre essas nações. A Europa se fortalece – é hoje o Bloco Econômico mais poderoso do Planeta – e isso tem um objetivo maior: quebrar a supremacia econômica, e bélica, dos Estados Unidos.

3)Força militar única: A Organização do Tratado do Atlântico Norte  (OTAN), subscrita em 4.4.1949, é uma aliança militar “projetada para prevenir ou repelir agressões contra qualquer de seus membros”.  A OTAN é, portanto, um poderoso exército formado a partir de acordos com as nações mais ricas da terra; possui um só comando e enorme  capacidade de destruição. Logo, a idéia de uma força militar única, comandada por um só homem, não é coisa de outro mundo.  Uma única moeda, uma só economia e uma força militar única são mudanças que apontam em direção de um único governante, um ditador mundial, carismático, inteligente, capaz de impressionar com seu discurso e de comandar um poderoso exército. Segundo escreveu Antônio Gilberto, uma das conclusões a que chegou o Clube de Roma – fundado em 1968 e  integrado por “personalidades de gabarito reconhecidamente mundial, na política, nas ciências e na educação” -, “é a de que a humanidade necessita urgentemente de um governo único e centralizado para resolver seus problemas e suprir suas necessidades”.  Este homem que surgirá no cenário mundial será o “feroz de cara”, o Anticristo. O mundo se prepara para recebê-lo.

 

 

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *