MISTICISMO – Significado

O termo básico grego é mustes, ou seja, “iniciados nos mistérios”, cuja origem é o vocábulo grego musterion, que significa “mistério”, “rito secreto” ou “doutrina secreta”. No sentido positivo, Misticismo infunde na religião o senso do “sagrado”, conferindo vida aos dogmas mortos e outorgando a luz, mesmo sem definições verbais. Neste sentido positivo, envolve quatro estágios comuns: 1) o despertamento; 2) a expurgação; 3) a iluminação; e 4) a unificação com a Divina Presença. Num sentido negativo, é o método de aproximar-se de Deus, que é transcendental, negando o mundo, com sua linguagem e características. Ou ainda pode ser definido como o conjunto de normas e práticas que têm por objetivo alcançar uma comunhão direta com Deus. Daí advém a grande problemática que envolve o Misticismo: os místicos podem ser induzidos a abandonar a Bíblia e se valer apenas de suas “experiências”. Em nossos dias, o Misticismo tem ganhado fôlego, principalmente pela enorme influência dos neo-pentencostais, que minimizam a importância da Bíblia, dando-lhe uma interpretação particular, empírica e eisegética. No Neo-pentecostalismo, as figuras, os objetos e os símbolos se transformam em “amuletos”, em imitação das práticas pagãs. Assim, adotam-se costumes estranhos, tais como: fitinhas no braço; medalhinhas de símbolos bíblicos; unção de portas, janelas carros; cêrca de sal ao redor da casa para impedir a entrada de maus espíritos; água abençoada; óleos “ungidos”, etc.

FONTE: Dicionário Teológico Brasileiro Lázaro Soares de Assis

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *