LIÇÕES BÍBLICAS – Jesus é Senhor do Sábado

Fonte: Bíblia de Estudo Pentecostal

“NAQUELE TEMPO, passou Jesus pelas searas, em sábados; e os seus discípulos, tendo fome, começaram a colher espigas e a comer. E os fariseus, vendo isso, disseram-lhe: Eis que os seus discípulos fazem o que não é lícito fazer num sábado. Ele, porém, lhes disse: Não tendes lido o que fez Davi, quando teve fome, ele e os que com ele estavam? Como entrou na Casa de Deus e comeu os pães da propriação, que não lhe era lícito comer, nem aos que com ele estavam, mas só aos sacerdotes? Ou não tendes lido na lei que, aos sábados os sacerdotes no templo violam o sábado e ficam sem culpa? Pois eu vos digo que está aqui quem é maior do que o templo. Mas, se vós soubésseis o que significa: Misericórdia quero e não sacrifício, não condenaríeis os inocentes, Porque o Filho do Homem até do sábado é Senhor” (Mt 12.1-8).

SÁBADO – O sábado semanal (gr. sabbaton, que significa “repouso”, “cessação”) era o sétimo dia da semana, separado pela lei de Moisés como dia de descanso do trabalho normal, para repouso pessoal e adoração ao Senhor (Êx 20.10; Dt 5.14). Para o cristão, o sábado judaico já não é obrigatório. As exigências cerimoniais da lei foram canceladas na morte de Cristo (Cl 2.14; 16; Rm 14.5,6; Gl 4.9-11). Além disso, o sábado como dia fixo semanal de descanso foi parte do pacto entre Deus e Isaque, somente (Êx 31.13,17; Ez 20.12.20). Os cristãos observam o domingo como dia de repouso pessoal e adoração ao Senhor. É o dia em que Jesus ressurgiu dentre os mortos, sendo chamado no Novo Testamento de “o dia do Senhor”. Uma vez que o cristão não é mais obrigado o sábado judaico, ele tem fortes razões bíblicas para dedicar um dia, em sete, para seu repouso e adoração a Deus.
(1) O princípio de um dia sagrado de repouso foi instituído antes da lei judaica. “E abençoou Deus o dia sétimo e o santificou” (Gn 2.3). Isto indica que o propósito divino é que um dia, em sete, fosse uma fonte de bênção para toda a humanidade e não apenas para a raça judaica.
(2) O princípio espiritual de um dia de descanso em sete é benéfico ao cristão. No AT esse dia era visto como uma cessação do labor e ao mesmo tempo um dia destinado a Deus; um período para se conhecer melhor a Deus e adorá-lo; uma oportunidade para dedicar-se em casa e em público às cosas de Deus (Nm 28.9; Lv 24.8).
(3) Assim como sábado era um sinal do concerto de Israel como povo de Deus (Ex 31.16,17), o dia de adoração do cristão (o domingo) é um sinal de que este pertence a Cristo.
(4) Jesus nunca ab-rogou [anulou, suprimiu] o princípio de um dia de descanso para o homem. O que Ele reprovou foi o abuso dos líderes judaicos quanto à guarda do sábado (Mt 12.1-8; Lv 13.10-17; 14.1-6).
(5) Jesus indica que o dia de descanso semanal foi dado por Deus para o bem-estar espiritual e físico do homem (Mc 2.27).
(6) Nos tempos do NT os cristãos dedicavam um dia especial, o primeiro dia da semana, para adorar a Deus e comemorar a ressurreição de Cristo (At 20.7; 1Co 16.2; Ap 1.10).

Vídeo correspondente:

Transcrição:
Pr. Airton Evangelista da Costa
www.palavradaverdade.com
01.03.2010

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *