Diabo: O nome que está acima de todos os nomes?

Satanás, diabo, maligno, demônios, anticristo – são esses os nomes mais pronunciados no discurso de alguns púlpitos brasileiros. E dão ibope. O Evangelho genuíno perdera o significado? O medo do diabo apressa a conversão dos pecadores? O maligno é responsável direto e único pela doença, falta de emprego, contendas familiares, falta de fé, preguiça, dificuldade em dizimar, adultério, por tudo?

A fé, pela qual e através da qual a graça alcança os pecadores, aumenta através de “ouvir a Palavra” (Ef 2.8-9; Rm 10.17). Não é por saberem o que o diabo faz ou deixa de fazer. Mas por que mudar o time do diabo, satanás, demônios, maligno, anticristo se estão marcando gol? Portanto, o despautério continuará. Todos os dias, o mesmo refrão.

Reparem no discurso do apóstolo Pedro, o primeiro pronunciado logo após o pentecostes (At 2.14-36). Nenhum nome dessa corte infernal foi mencionado. Apesar disso, quase três mil almas se converteram (v. 41).

Se duvidam, liguem a televisão em qualquer dia e anotem quantas vezes aqueles nomes são citados em programas evangelísticos. Embora já soubesse, fiz uma experiência. Liguei a TV, e nesse exato momento o orador disse: “Isso é um demônio…”. Para não sofrer desconforto espiritual, mudei de canal imediatamente.

Ocorre que o diabo dá audiência, dá entrevista, faz malabarismo nos púlpitos, discursa, faz a festa. Há uns dez anos escrevi um artigo em que citava mais o nome de satanás do que o de Deus. Então um leitor me advertiu. Sem a invocação diabo, muitos púlpitos ficariam sem brilho, insossos, esmaecidos, desfigurados. As ovelhas precisam vir a Cristo por medo do diabo, pensam. Isso tudo tem um nome: INVERSÃO DE VALORES.

Observem como o nome do diabo e assemelhados é evidenciado num trecho de um comunicado que recebi nesta data, como abaixo. Não coloquei o nome do ministério, pois não faço oposição a pessoas nem a igrejas, mas ao fato em si, a dogmas, doutrinas, teses, modismos, heresias:

“Nós do Ministério… recentemente recebemos esta palavra do Senhor com relação a 6 de junho de 2006….”.

“O mundo está em agitação. Jesus está perto de visitar a terra com Sua justiça e glória. Deus está enviando Seu povo para salvar almas, multiplicar igrejas, cuidar dos pobres e transformar a sociedade em que vivemos. Nós veremos manifestações do Espírito Santo que irão converter cidades inteiras em um só dia. A igreja está perto de entrar em seus dias mais poderosos de colheita, enquanto as forças do mal simultaneamente liberam os espíritos do anti-Cristo para impedir a igreja de alcançar o destino de Deus. Estamos em guerra!”.

“O diabo entende muito bem o significado e simbolismo atrás de datas e números. Ele está consciente do plano de Deus para a igreja vitoriosa. Ele fará tudo que esteja ao seu alcance para conter a poderosa colheita que já se iniciou. Uma parte de sua estratégia se concentra em uma data chave no ano que vem”.

“A Bíblia nos diz que não devemos ser ignorantes às artimanhas de Satanás. O diabo colocou 6 de junho de 2006 em negrito em sua agenda de destruição. Pense nesse número: 6-6-6!”

“As mais poderosas forças ocultas ao redor do mundo como Satanistas, maçons, feiticeiras (Wicca), Nova Era, bruxas, médiuns e outros estarão ocupados em 6 de junho de 2006 para tentar lançar os planos de Satanás sobre a terra”.

“Eu estou mais certa do que nunca que Deus me falou profeticamente que isso é um plano do inimigo, e que ELE deseja que o corpo de Cristo ao redor de todo o mundo tome uma ação para neutralizar o poder de Satanás e levá-lo à derrota”.

Qual foi o nome mais pronunciado nesse comunicado? O de Jesus, o mais valente, nosso Senhor e Salvador, o Filho de Deus, o Verbo encarnado, o Todo-Poderoso, o nome que está acima de todos os nomes (At 4.12)? Não. O nome em evidência é do que já foi derrotado na cruz; que tem um inferno novinho preparado para ele e seus anjos (Mt 25.41); que foge dos crentes (1 Jo 5.18). Mas a nota declara que satanás será levado à derrota no dia seis de junho, data em que, segundo a nota profética, coisas extraordinárias acontecerão. Nada de extraordinário que eu saiba aconteceu em 06.06.1996, 06.06.1986, 06.06.1976… 06.06.1876… 06.06.1536, 06.06.1666 – datas em que o número SEIS aparece três vezes e apontam para o número da besta.

O apóstolo Pedro não fez nenhuma referência a datas, a simbologia, ao número da besta, ao diabo e seus anjos. Apenas pregou o Evangelho do arrependimento e do Cristo ressuscitado. Resumindo, disse:

“Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo, para perdão dos pecados. E recebereis o dom do Espírito Santo” (At 2.38). Eis a essência do Cristianismo.
03.06.06
www.palavradaverdade.com

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *