COMO NASCE UMA UNÇÃO – Gato e Rato

Tenho novidades para minhas ovelhas. Está escrito que tudo quanto pedirmos receberemos. Os animais também são criaturas de Deus e Deus ama toda a sua criação. Se há manifestações espirituais, por que não entendermos que há manifestações animais?

Se os animais fossem criaturas tão desprezíveis, não os teríamos à nossa volta, não serviriam para nossa alimentação. Deus provou seu amor por eles (1) quando permitiu que a jumenta de Balaão falasse (Nm 22.28-30) e (2) quando demonstrou misericórdia pelos animais de Nínive (Jn 4.11). Além disso, Deus usou um animal, o galo, para anunciar fraqueza do apóstolo Pedro (Lc 22.60); Jesus entrou triunfante em Jerusalém montado num jumentinho (Jo 12.14). Muitos outros fatos importantes estão relacionados a animais: Sansão feriu a mil homens com uma queixada de jumento; o bode expiatório era uma figura da morte expiatória de Jesus, assim como o sacrifício do cordeiro.

Acrescento que Deus concedeu ao papagaio o “dom” de imitar a voz humana. Entenderam como as coisas se relacionam? Se eles, os animais, nos imitam e nos amam, se muitos fazem parte de nossa cadeia alimentar, por que não imitá-los? Por que essa manifesta repulsa aos dons animais?

Dito isto, apresento-lhes um presente em dose dupla. São duas unções de uma só vez, a do gato e a do rato. Usarei a prática de “transferência de unção”, isto é, a unção que possuo transfiro às minhas ovelhas pela palavra e imposição de mãos. Vamos às instruções.

No dia marcado para o evento, os que desejarem receber a nova unção virão vestidos a caráter. Ou seja, fantasiados de gato, no caso de homens, ou de gata, no caso das mulheres. A mesma coisa com relação à unção de rato. Declaro de pronto que sou considerado um gatão, haja vista o modo fácil com que me transformo num gato. Certo dia eu estava de olhos fechados exercitando minha unção, com meus miados tristes. Quando abri os olhos, pelo menos dez gatas estavam o meu redor. Entendi pelos seus miados que elas queriam namorar comigo.

Serão instalados em toda a extensão do templo cinqüenta metros de tubulação em vidro transparente. De dez em dez metros serão colocados pedaços de queijo e vasilhames com leite para que os participantes se alimentem. A expectativa é que os ratos penetrem pelos tubos, e logo em seguida os gatos corram para apanhá-los. Um moderno sistema de reprodução audiovisual reproduzirá num telão tudo o que se passar dentro dos tubos.

Todos participarão da corrida. A cada miado dos gatos, a platéia miará junto. A cada grunhido dos ratos, a mesma coisa. Todos numa só voz. Há liberdade para torcida organizada.

E se houver excesso? Se um gato passar dos limites com relação a uma gata? Ou um gato querendo morder literalmente um rato?

Isso pode acontecer. Mas os participantes serão monitorados. Através de um sistema eletrônico – um chip instalado sob a pele da testa –, o afoito bichano receberá uma descarga elétrica que inibirá seus impulsos.

Façam suas inscrições na tesouraria do nosso MIAU – Departamento de Manifestações Animais.
10.01.2009

Nota: Este artigo é uma ficção. Seu objetivo é alertar os leitores para a necessidade de meditar sobre a nova onda de unções animalescas, como a unção do leão e a do cachorro. Os dons espirituais são dados para um fim proveitoso.

Artigo pertinente:
“Manifestações Espirituais…
http://www.palavradaverdade.com/print2.php?codigo=3011

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *