Como Entender o Arrependimento de Deus?

Deus nunca muda de idéia nem se arrepende do que faz?

”Porque Eu, o Senhor, não mudo” (Ml 3:6). “Deus não é homem para que minta, nem filho do homem para que se arrependa” (Nm 23.19). “Aquele que é a Força de Israel não mente nem se arrepende; porquanto não é um homem para que se arrependa” (1 Sm 15.29).

Volta atrás e se arrepende?

“Então o Senhor se arrependeu do mal que dissera havia de fazer ao seu povo” (Ex 32.14). “Então arrependeu-se o Senhor de haver feito o homem sobre a terra, e isso lhe pesou no coração (…) pois me arrependo de os haver feito” (Gn 6.6-7). “E Deus viu as obras deles, como se converteram do seu mau caminho. E Deus se arrependeu do mal que tinha anunciado lhes faria, e não o fez” (Jn 3.10). Depois de ter dito que o rei Ezequias morreria brevemente, Deus lhe concedeu mais quinze anos de vida (2Rs 20:1-7).

Reflexão:

De fato, na Sua essência, Deus não muda. Deus, perfeitíssimo, não poderia melhorar a Sua perfeição ou piorá-la. O que mudam são as circunstâncias. A casa não muda de lugar, mas podemos dizer que ela está ora à esquerda, ora à direita, dependendo da posição de quem a observa. A comparação pode parecer grosseira, mas auxilia na compreensão da natureza de Deus, no caso sob comentário.

Em todos os casos sob análise o que mudou não foi Deus; as circunstâncias é que mudaram. Às vezes o arrepender-se de Deus é sinônimo de tristeza, como no caso da criação do homem (Gn 6). Após criar o homem, Deus disse que tudo que tinha feito era muito bom (Gn 1.31). Depois da queda, o homem mudou, as circunstâncias mudaram, e Deus se entristeceu da lastimável situação de sua criatura. Deus é Justiça e Misericórdia. A intercessão de Abraão, no caso da destruição de Sodoma e Gomorra, moveu a misericórdia de Deus. O clamor do rei Ezequias moveu a misericórdia de Deus. No caso da idolatria do bezerro de ouro, o clamor de Moisés moveu a misericórdia de Deus; a eliminação de todos foi suspensa. A intercessão de Jonas, o arrependimento e jejum dos ninivitas mudaram as circunstâncias, então houve mudança da atitude de Deus com relação à Nínive (Livro de Jonas).

Todos os homens estão sob condenação eterna, porque todos pecaram e destituídos estão da salvação (Rm 3.23). Todavia, se houver arrependimento e séria intenção de deixar o pecado; se houver fé no Senhor Jesus, na Sua morte e ressurreição, ou seja, mudadas as circunstâncias, muda a atitude de Deus, e o homem será salvo. O princípio é este: mudando as circunstâncias, Deus poderá mudar suas atitudes. Lembremo-nos de que Deus é soberano na Sua vontade.

“Obviamente, Ele muda quando o homem muda por fazer as escolhas certas, mas Ele não pode mudar de atitude em relação ao mal, quando o homem permanece em seu curso errado. Assim que Deus muda de ação, Ele sempre se mantém fiel à Sua retidão” (Dicionário VINE).

Deus é bom e nos ama, e está sempre pronto a socorrer-nos em nossas dificuldades: “SE O MEU POVO, QUE SE CHAMA PELO MEU NOME, SE HUMILHAR, E ORAR E BUSCAR A MINHA FACE, E SE CONVERTER DOS SEUS MAUS CAMINHOS, ENTÃO EU OUVIREI DOS CÉUS, E PERDOAREI OS SEUS PECADOS, E SARAREI A SUA TERRA” (2 Cr 7.14).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *