Talvez

Acordes que nos transportam nas asas da imaginação: abrimos portas, subimos montes, singramos rios e mares.

Se tudo vem de Deus, se tudo foi criado por Ele, exceto o mal, não seriam de inspiração divina acordes tão maviosos [Las bachianas], criados por esse escultor da música, o carioca Heitor Villa-Lobos? Ah! mistérios insondáveis.

Não sei aonde me levam os acordes. Talvez me façam correr com Pedro e João ao sepulcro vazio do Mestre. Lá, só estavam os lençóis.

Talvez me transportem ao Gólgota e façam-me
ouvir o Seu grito de desamparo. Não sei. Às vezes
eles transmitem a idéia de uma marcha fúnebre; aí eu me lembro do filho da viúva de Naim. A verdade é que me levam a Jesus, seja o som agudo ou grave, andamento lento ou rápido.

É certo que me fazem viajar até Jerusalém, essa Terra onde as coisas aconteceram, acontecem e acontecerão. Talvez eu veja na melodia um número incontável de judeus ao pé do monte Sião, dizendo: – É Ele, É Ele, o nosso Salvador.

Talvez me façam correr pelas ruas de Jerusalém a procura de algum vestígio da passagem de Jesus.
E ali ajoelhar-me e chorar, chorar muito. A rogar, a pedir, a implorar: Maranata, vem, Senhor Jesus

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *