Que Livro Maravilhoso

QUE LIVRO MARAVILHOSO !

As Escrituras Sagradas são maravilhosas na sua origem.
Elas são o mais antigo Livro do mundo.
As primeiras porções delas foram produzidas 1500 anos antes de Cristo; a última porção, em torno do ano 100 da nossa era.
Durante esses 1600 anos contribuíram para sua formação cerca de quarenta autores, homens de variadas posições e variados talentos.
Entre eles encontramos reis e pescadores, legislador, estadista, filósofo, pastor, advogado, médico, coletor de impostos. Eles escreveram sobre praticamente toda espécie de assunto: história, biografia, poesia, provérbios, profecias, parábolas, salmos e sermões.
Mas a despeito dessa diversidade de colaboradores e temas tratados, o Livro tem unidade. Uma porção não contradiz outra. Como explicar isso? Simples: por detrás da mente de seus autores humanos está a mente divina: “Toda Escritura é inspirada por Deus” (2 Tim 3:l6).

As Escrituras são maravilhosas pelo seu valor literário.
Se bem que produzidas em outras línguas (hebraico e grego) e há milhares de anos, elas contêm porções que são consideradas obras-primas da literatura.
São dignos de nota o grandioso estilo de Gênesis e do livro de Jô, a tocante história do encontro de José com seus irmãos, a dramática solenidade da oração de Salomão, a riqueza de imagens do profeta Isaías, a suavidade do Salmo 23, a elevação do Sermão do Monte, a eloqüência em 1 Coríntios 13, a excelência de historietas como a do livro de Rute e a epístola a Filemon, esta última qualificada como “a mais suave e nobre carta” que um cavalheiro já dirigiu a outro.
O grande romancista Sir Hall Caine afirmou que “os mais lindos romances já escritos ficam muito aquém, em interesse, de qualquer história que elas (as Escrituras) narram”.

As Escrituras são maravilhosas na sua influência.
Elas elevam e enobrecem o indivíduo. Transformam pecadores em santos, grandes facínoras em cidadãos pacíficos, escravos do vício em homens livres.
Nenhum outro livro tem esse poder.
É à influência das Escrituras que devemos a presença no mundo de milhões de piedosos cristãos que incontestavelmente constituem o sal de Terra. É à sua influência, em grande medida, que devemos a existência de orfanatos, asilos e hospitais.
As Escrituras inspiram grandes obras de literatura, como o “Paraíso Perdido”, considerado o maior poema dos tempos modernos; e o “Peregrino”. Também obras-primas da arte, como o oratório “O Messias”, de Haendel, considerado a maior criação musical de todos os tempos; e os mais famosos quadros de Rafael e Miguel Ângelo..
Nos países tradicionalmente cristãos a influência das Escrituras assume variadas formas e é vista até nos nomes das localidades. No Brasil temos Belém, Salvador, São Paulo, Santa Maria, São Gabriel, São João, etc.
Talvez em nenhum país da Terra a influência das Escrituras se fizesse sentir de modo tão assinalado como na Inglaterra. O efeito dessa influência foi sentido por Rui Barbosa no tempo que lê viveu, como tão entusiasticamente o expressou nas suas Cartas de Inglaterra.
A leitura do Livro tornou-se prática diária de milhões de cidadãos britânicos. E a literatura inglesa foi fortemente influenciada pelas imagens e expressões das Escrituras.
“A Bíblia Sagrada”, escreveu um estudioso do assunto, “tem tido maior força sobre o curso da literatura inglesa do que todas as outras forças reunidas”.
Com efeito, a famosa “King James Version” tem sido por muitos considerada o maior monumento da língua inglesa. O seu conteúdo, no dizer da Faber, tornou-se “parte do espírito nacional e âncora da probidade do povo”.
Quando um príncipe africano visitou a Inglaterra e, maravilhado de tudo o que viu, perguntou à Rainha Vitória qual o segredo da grandeza do país, a raínha mandou entregar-lhe uma bonita caixa com um exemplar das Escrituras Sagradas e uma mensagem com os dizeres: “Este é o segredo da grandeza da Inglaterra!”
Muitos homens ilustres testificaram da influência do Livro.
D. Pedro II escreveu: “Eu amo a Bíblia. Leio-a todos os dias, e quanto mais a leio tanto mais a amo”.
Napoleão Bonaparte disse: “O Evangelho não é simplesmente um livro, mas uma força viva – um livro que sobrepuja a todos os outros. A alma jamais pode vaguear sem rumo, se tomar este livro para seu guia.
Roberto A. Milikan, cientista americano: “Considero um conhecimento íntimo da Bíblia, qualificativo indispensável do homem educado”.
Gandhi, o grande líder indiano, declarou que o NovoTestamento o influenciou mais do que qualquer outro livro.

As Escrituras são maravilhosas pela sua autoridade.
Ninguém menor que o Senhor Jesus Cristo declarou que elas são “a verdade” (Jo 17:17).
O Senhor Jesus Cristo baseou nelas todo o seu ensino. Citava-as freqüentemente. As vezes fazia a pergunta: “Que está escrito…?” (Lucas 10:26). “Nunca lestes nas Escrituras?” (Mateus 21:42). “Errais não conhecendo as Escrituras” (Mateus 22:29). “A Escritura não pode falhar” (João 10:35).

As Escrituras são maravilhosas pelo ensino que contêm.
Elas nos dão a origem do mundo e do homem. E o relato dessa origem não pode ser contestado mesmo neste nosso tempo de grande luz científica. Com efeito, a verdadeira Ciência e as Escrituras devem sempre estar de acordo.
As Escrituras dão-nos uma idéia fiel da natureza humana. Revelam também o destino do homem e do mundo em que vivemos. Nenhum outro livro contém revelações como as Escrituras.

Acima de tudo, as Escrituras encerram uma mensagem que vem ao encontro das necessidades do homem, que satisfaz os anelos da alma.
Falam-nos de um Deus que nos criou, um Deus que é nosso Pai celeste, que nos ama e se interessa por nós.
Na verdade, seu grande tema e a pessoa do Senhor Jesus Cristo, que elas apresentam como o nosso divino Ajudador. Aquele que está conosco nas horas mais difíceis. Falando das Escrituras, Ele disse: “São elas que testificam de mim” (João 5:39).

Como o Céu está semeado de estrelas, assim está o grande Livro cheio de passagens como estas: “Porque desde a antiguidade não se ouviu, nem com ouvidos se percebeu, nem com os olhos se viu Deus além de Ti, que trabalhas para aquele que nEle espera” (Isaías 64:4).
“Porque Deus ao mundo de tal maneira que deu Seu Filho unigênito, para que todo o que nEle crer não pereça, mas tenha a vida eterna” (João 3:16).

Alguém escreveu sobre as Escrituras: “Elas contem luz para te dirigir, alimento para te sustentar, e conforto para te animar. São o mapa do viajante, o bordão do peregrino, a bússola do piloto, a espada do soldado, o modelo do cristão. Nelas o paraíso é restaurado, o Céu aberto, as portas do inferno descobertas. Cristo é o seu grande assunto, nosso bem o seu propósito, e a glória de Deus o seu fim. Elas devem encher a mente, governar o coração e guiar os pés. São uma mina de riqueza, um paraíso de glória e um rio de prazer. Elas te são dadas nesta vida, serão abertas no Juízo Final, e lembradas para sempre. Envolvem as mais altas responsabilidades, galardoarão o maior serviço, e condenarão a todos os que zombam de seu sagrado conteúdo”.

Por que você não abre este Livro maravilhoso e começa agora mesmo a descobrir isso?

ADAIL CAMPELO DE ABREU
SERVO DE JESUS QUE VIRÁ
HOMEM QUE NUNCA MORREU
E NUNCA JAMAIS MORRERÁ

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *