O Reino dos céus é tomado por força e violência? Como entender Mateus 11.12?

“E, desde os dias de João o Batista, até agora, se faz violência ao reino dos céus, e pela força se apoderam dele”(Mt 11.12).

Comentário da Bíblia de Estudo Pentecostal:

“Jesus revela novos fatos sobre a natureza dos membros do reino. Ele disse que somente quem se esforça apodera-se do reino de Deus. Os tais, movidos por Deus, resolvem romper com as práticas pecaminosas e imorais do mundo e seguem a Cristo, a sua Palavra e seus justos caminhos. Não importando o preço a pagar, esses, resolutamente, buscam o reino com todo o seu poder. Noutras palavras, pertencer ao Reino de Deus e desfrutar de todas as suas bênçãos requer esforço sincero e constante – um combate de fé, aliado a uma forte vontade de resistir a Satanás, ao pecado e à sociedade perversa em que vivemos. Não conhecerão o reino de Deus aqueles que raramente oram, que transigem com o mundo, que negligenciam a Palavra e que tem pouca fome espiritual”.

Comentário do Manual Popular de Dúvidas, Enigmas e “Contradições” da Bíblia (Norman Geisler):

“Essa é uma passagem difícil e tem sido interpretada de muitas formas. Alguns consideram que significa que o reino é violentamente tomado por seus inimigos, isto é, os poderosos líderes religiosos dos dias de Jesus estavam resistindo ao reino introduzido por João. Eles queriam o reino, mas não do tipo que estava sendo oferecido por João e por Jesus (cf. Rm 10.3). Entretanto, alguns objetam dizendo que isso está em oposição ao contexto, que expressa a grandeza de João Batista e o contraste entre o seu dia e o dia de Cristo. Outros vêem a “violência” como uma figura de linguagem que significa, em primeiro lugar, que o reino penetra ou se introduz com grande poder e repentinamente. Daí os intensos esforços daqueles que, pela pregação de João, tomavam de assalto o reino. Nessa visão, o texto está falando da resposta à pregação de João, como uma insurreição popular, indo violentamente ao reino de Deus, no qual as pessoas apressam-se a entrar, com avidez e violento zelo. Isso explica o uso do termo “violência” e enquadra-se dentro do contexto geral”.

Considerações do pastor Airton Evangelista da Costa

No momento em que escrevia esses comentários, veio-me à lembrança a viagem que fiz no trem “maria fumaça”, de Teresina (PI) para São Luís (MA), com minha família, há sessenta anos. Às cinco horas da manhã, uma multidão, cada um com suas malas e sacolas, ficou de prontidão na estação. Quando os vagões se abriram, aconteceu um tumulto; gritaria, atropelamento, preocupação com as crianças. Os mais fortes entravam primeiro. Conseguir passar pela porta estreita exigia força física, equilíbrio, determinação e até um pouco de violência para romper os obstáculos. É com essa imagem que tento compreender as palavras do Senhor Jesus. “A expressão “se faz violência” (gr. biazõ) pode indicar o emprego da força ou o esforço para entrar no Reino apesar de violenta oposição”(Dicionário VINE).

=========================
Comentário recebido em 12-10-2012:
Nome: vanderle machado cruz
Entendo que Jesus não está falando do esforço humano, como meio para se alcançar a salvação; até porque o contexto indica que o assunto é João Batista, mais precisamente a pergunta que ele manda seus discípulos fazerem ao Senhor; pergunta essa que nos permite inferir que JB, naquela circunstancia, estava com duvidas; apesar de ter visto o q viu qdo por exemplo batizou o Senhor. creio q no verso 12, Jesus, lembrando o curriculum de JB, mas considerando a duvida, q naquela circunstancia, era uma realidade no coração de JB. Declara: há uma necessidade urgente de se compreender q salvação é pela a graça e não fruto do merito humano. O
esforço foi Cristo quem fez e assim nos regenerou. Também não dá p dizer q este esforço é a santidade; pois isto seria distorcer o texto; haja visto q Jesus, a partir da pergunta que lhe é feita, fala de JB e de si mesmo, mostrando assim q a graça tornou-se evidente na vida das pessoas q dele se aproximou. Boa noite. Um abraço.
=======================
Estimado Vanderley,
Muito grato pela participação e valiosas informações. A matéria foi extraída do Dicionário de Dúvidas, Enigmas e “Contradições” da Bíblia. No texto, os autores advertem tratar-se de assunto polêmico. Com sua permissão, vou adicionar suas observações no rodapé do texto em referência. Um abraço
Pr. Airton Evangelista da Costa

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *