O protestantismo e suas divisões

PESQUISA – Informações, artigos e estudos de fontes diversas

Fonte: Almanaque Abril 99

Protestantismo

Movimento cristão surgido com a Reforma Protestante, iniciada no século XVI pelo teólogo alemão Martinho Lutero, que rompe com a Igreja Católica. As críticas de Lutero ao catolicismo começam em 1517. Defende ser a fé o elemento fundamental para a salvação do indivíduo e condena a venda de indulgências pela Igreja e o relaxamento dos costumes do clero da época. Fixa na porta da igreja do Castelo de Wittenberg as 95 teses consideradas heréticas. Em 1519, Lutero afasta-se definitivamente do catolicismo ao negar o primado do papa. Dois anos depois é excomungado pelo papa Leão X. Com a simpatia de diferentes setores da nobreza e dos camponeses, o luteranismo difunde-se na Alemanha. Lutero traduz a Bíblia para o alemão e abole a confissão obrigatória, o culto aos santos, o jejum e o celibato clerical. Só aceita os sacramentos do batismo e da eucaristia. Os protestantes negam ainda o culto à Virgem Maria. O nome protestante é atribuído, na época, aos partidários da reforma que protestam contra a Dieta (assembléia convocada pelos reis) de Espira (1529). A Igreja Protestante, também conhecida como Evangélica, reivindica sua reaproximação com o cristianismo primitivo.
O protestantismo divide-se em histórico, criado a partir da reforma, e pentecostal, surgido no começo do século XX. Calcula-se que existam 415,7 milhões de protestantes em todo o mundo em 1997. O Brasil reúne o maior número de adeptos da América do Sul, 13,3 milhões, segundo pesquisa realizada pelo instituto DataFolha em 1994.
Todas as igrejas protestantes celebram Natal, Páscoa, Pentecostes e as demais festividades cristãs. Também há comemorações particulares a cada uma delas, como o Dia de Ação de Graças, celebrado pelos luteranos, e o Dia da Escola Dominical, comemorado pelos metodistas.

PROTESTANTISMO HISTÓRICO–Corrente do protestantismo que compreende as Igrejas formadas a partir da reforma, como a Luterana, a Presbiteriana, a Anglicana, a Batista e a Metodista.

Igreja Luterana–É a primeira Igreja saída da reforma, fundada por Martinho Lutero. A comunidade pode escolher seus pastores, e todos os batizados são considerados sacerdotes. Acentua-se a autoridade única da Bíblia, não sendo necessária a interpretação de um sacerdote. Cada igreja é independente e não é submetida a uma hierarquia.

Igreja Presbiteriana–Igreja protestante que não reconhece a autoridade dos bispos nem aceita hierarquia superior à dos presbíteros (sacerdotes). Fundada pelo escocês John Knox (1514-1572), seus princípios fundamentais são enunciados na Confissão de Fé de Westminster, em 1643. Segue a doutrina religiosa do teólogo francês João Calvino (1509-1564), que funda uma corrente do protestantismo. Calvino afirma o dogma da predestinação, segundo o qual o homem está destinado à salvação ou à condenação por escolha divina, cabendo a ele apenas colaborar com a vontade de Deus. Salva-se quem santificar a vida cumprindo seus deveres. Defende a separação de Igreja e Estado, com predomínio da primeira sobre o último. Enfatiza a leitura e a interpretação da Bíblia e admite os sacramentos do batismo e da eucaristia. Considera o homem livre das proibições não explicitadas nas Escrituras e estimula a busca do conforto por meio do trabalho e da vida regrada.

Igreja Anglicana–Igreja oficial da Inglaterra criada pelo rei Henrique VIII, que em 1534 rompe com a Igreja Católica. A reforma anglicana consolida-se em 1558, sob o reinado de Elizabeth I. Da Inglaterra difunde-se para as colônias, especialmente a América do Norte. Assemelha-se ao catolicismo quanto à liturgia. O anglicanismo admite mulheres como sacerdotes desde 1994.

Igreja Batista–Fundada em Londres, em 1611, a partir de um grupo de luteranos liderados por Thomas Helwys (1550-1616). Valoriza o sacramento do batismo e defende sua realização em idade adulta. Para os batistas, a salvação eterna não está relacionada com a execução de boas obras. Difundida principalmente nos EUA, a Igreja Batista não usa a cruz como símbolo.

Igreja Metodista–Formada em 1740, a partir da obra do clérigo anglicano John Wesley (1703-1791), tem forte influência calvinista. Wesley passa a fazer reuniões metódicas para exercício de meditação mística, daí o nome metodista. A Igreja Metodista aceita o batismo simbólico das crianças. Defende ser a palavra de Deus suficiente para a salvação, mas critica a interpretação individual dos textos sagrados. Acredita na cura divina e na manifestação do Espírito Santo.

PROTESTANTISMO PENTECOSTAL –Movimento que surge em Chicago, Estados Unidos, em 1906, a partir de uma dissidência dos metodistas e se difunde rapidamente pelos países do terceiro mundo. Enfatiza a relação com o Espírito Santo por meio da glossolalia (dom de falar em línguas estranhas), reproduzindo o episódio bíblico da manifestação do Espírito Santo aos apóstolos no dia de Pentecostes. Os cultos são emotivos e teatrais. Há ênfase nas orações coletivas feitas em voz alta e nos rituais de exorcismo e cura, realizados em grandes concentrações públicas. Algumas igrejas destacam mais determinados aspectos e as diferenças entre elas estão nos enfoques doutrinários e na clientela que atraem. Em geral, as igrejas são independentes nos diferentes países. O movimento é maior nos Estados Unidos e na América Latina. Existem hoje duas vertentes: o pentecostalismo tradicional e o neopentecostalismo.

Pentecostalismo tradicional –Conservam, em geral, uma moral rígida em relação ao comportamento e ao modo de se vestir. Em determinadas igrejas, por exemplo, as mulheres usam saias e cabelos longos e não podem pintar-se. Alguns fiéis têm restrições quanto a assistir à televisão e a consumir bebidas, cigarros e determinados alimentos. Entre as igrejas pentecostais tradicionais destacam-se a Congregação Cristã e Evangelho Quadrangular.

Neopentecostalismo –Mudança surgida no pentecostalismo mundial na década de 70 a partir dos princípios da Teologia da Prosperidade. Desenvolvida nos Estados Unidos, assegura que o sucesso, a felicidade e a prosperidade devem ser alcançados nesta vida. As igrejas neopentecostais são menos rígidas que as pentecostais tradicionais em relação à moral e ao comportamento. Promovem também uma acentuação dos ritos de exorcismo e cura. Uma das principais igrejas neopentecostais é a Igreja Universal do Reino de Deus. Fundada pelo brasileiro Edir Macedo em 1977, já se espalhou para mais de 30 países.

PARAPROTESTANTES–Formam um grupo específico dentro do protestantismo porque acreditam que a própria doutrina foi revelada por uma ação divina especial. As principais Igrejas são a Adventista, a Mórmon e a Testemunhas de Jeová.

Igreja Adventista–Doutrina criada nos EUA por William Miller (1782-1849), que anunciava a volta de Cristo à Terra em 1844. Apesar de não realizada a profecia, continua a incorporar novos fiéis. Divide-se em vários ramos, como Cristãos Adventistas União da Vida e Advento e Adventistas do Sétimo Dia, que consideram o sábado dia sagrado. Os adventistas acreditam que a volta de Cristo está próxima e que os mortos dormem até a ressurreição.

Igreja Mórmom–Também chamada de Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, é fundada em 1830 pelo norte-americano Joseph Smith (1805-1844). Mórmon é o nome do livro que o fundador teria recebido das mãos de um mensageiro de Deus.

“Testemunhas de Jeová–Igreja formada em 1875 pelo norte-americano Charles Russel (1852-1916), resulta da fragmentação da Igreja Adventista. Os fiéis rejeitam as noções de imortalidade da alma e de inferno. Acreditam que religião e governo são criações do diabo. Defendem a moral rígida e recusam-se a prestar o serviço militar. Seus locais de encontro se chamam salões do reino”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *