O Governo, o Socialismo e o Evangelho

Valeu a Pena Lutar pela Eleição de Lula?

Julio Severo

O Movimento Evangélico Progressista (MEP) vem lutando há anos para promover sua versão cristã do socialismo e atrair as ovelhas evangélicas do Brasil para os pastos socialistas. Lula e o PT foram um dos grandes “beneficiados” por seus esforços, recebendo o voto de muitos eleitores evangélicos devido ao desempenho dos evangélicos progressistas nos bastidores políticos. A vitória eleitoral de Lula e do PT em 2002 também foi a mais importante vitória do MEP.

No entanto, qual é agora a reação do MEP diante dos graves escândalos de Lula e do PT? O site oficial do MEP oferece a seguinte resposta intitulada Refletindo sobre um Princípio Ético:
Nas disputas das CPIs percebemos um discurso que se fundamenta no fato de que as ações empreendidas não tinham interesses pessoais, mas a consolidação de um partido, que sempre lutou pelo direito e a justiça dos menos privilegiados. Em nome desta missão, quase que em uma síndrome “robinwood”, justifica-se usar de caminhos escusos para ajudar “os mais necessitados”. Isso é diferente do político que, consciente de sua desonestidade, tira para si o que não lhe próprio. O grande problema é que os primeiros acham que por estarem a serviço dos “menos privilegiados”, colocam-se para além da lei e da ordem, não consideram sua atitude réproba, enquanto que os outros têm consciência de seus atos criminosos.
A declaração está até certo ponto boa, mas não revela nem retrata a participação do MEP na consolidação do mencionado partido através da busca do voto dos evangélicos nas eleições de 2002. O MEP em momento algum parou para expressar arrependimento por ajudar a colocar no governo do Brasil um partido que, além de todas as muitas denúncias de corrupção, tem feito mais para promover o aborto e o homossexualismo do que qualquer governo já fez em nossa nação. A declaração do MEP só se limitou a sugerir que até quando roubam, os esquerdistas o fazem pelo bem dos menos favorecidos. Todos os outros ladrões roubam somente para se beneficiar, enquanto os ladrões socialistas roubam exclusivamente para ajudar os pobres. Até no roubo os socialistas são altruístas! Para o MEP, o roubo é errado, mas de todos os ladrões, os socialistas são diferentes, porque não pensam em si, mas só nos pobres.

Em vez de usar e abusar do Evangelho para defender e promover a ideologia socialista entre os evangélicos, os evangélicos progressistas deveriam fazer o que todo cristão genuíno é chamador a fazer: pregar o Evangelho a toda a criatura. Essa é a única paixão que vale a pena.

Contudo, o socialismo está bem no coração do Movimento Evangélico Progressista. Assim o Dicionário Aurélio define o termo progressista:
Diz-se de quem, não pertencendo a um partido socialista ou comunista, aceita e/ou apóia, no entanto, os princípios socialistas ou marxistas.
A paixão do MEP pelo socialismo é tão incontrolável e absurda que seu site na Internet contém até mesmo um link direto para o site do radical MST.

Em vez de rebaixarem o Evangelho por amor à causa socialista, eles deveriam rebaixar o socialismo por amor ao Evangelho. Enquanto a ideologia socialista é inegavelmente responsável por incontáveis milhões de assassinatos de vítimas inocentes e suas bandeiras costumem representar, com toda justiça, o vermelho de todo esse sangue derramado, o Evangelho tem, através do sangue derramado do Senhor Jesus Cristo, transformado incontáveis milhões de pessoas que foram verdadeiramente libertas do cativeiro do pecado. Só o Evangelho liberta, inclusive do cativeiro das ideologias humanas e satânicas.

Fonte: www.juliosevero.com

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *