O Controle da Mente

Não somente as tradicionais e conhecidas seitas usam técnicas de controle da mente. É possível encontrar tal situação em outros grupos. Talvez o mais correto fosse chamar esse controle de técnicas de manipulação do comportamento. Pode ser por autodisciplina, por auto-sugestão, pela coação mental.
“As técnicas disponíveis para manipular os vulneráveis são uma legião. Uma é dar-lhe o amor que sentem que não obterão em outro lugar. Convencê-los de que através de si e da sua comunidade podem obter aquilo que procuram, mesmo se não façam idéia daquilo que procuram. Convencê-los que precisam ter fé em si e que o recrutado tem fé neles. Convencê-los de que os seus amigos e a sua família fora da seita são entraves à sua salvação. Isole-os. Só você lhes pode dar aquilo que necessitam. Você ama-os. Só você os ama. Você morreria por eles. Então porque não morreriam eles por você? Só o amor pode levá-lo a ganhá-los. O medo é um grande motivador. Medo de que se abandonarei a seita serão destruídos. Medo de que se não cooperarem serão destruídos. Medo de que não conseguirão sobreviver sozinhos neste mundo. Os recrutados se tornam paranóicos” (http://brazil.skepdic.com/controlemental.html).

A fragilidade emocional e o intenso desejo de encontrar alívio para seus problemas existenciais facilitam a manipulação dos indivíduos. A seita passa a ser o paraíso, a motivação maior da vida do adepto. Sem ela, crêem, é impossível levar uma vida normal. Impossível viver fora da seita. Há o medo constante de cometer algum ato contrário à vontade dos líderes, de perder velhos amigos e deixar de servir a Deus. A família passa a ser um elemento secundário na vida do membro. Ouçamos a confissão abaixo de quem passou pelo furacão:

“Hoje percebo que foi um tipo de lavagem cerebral que fazem conosco. Acham que tudo é pecado. Olhar e cumprimentar outro homem é pecado. Usar calça é coisa de homem; pecado também. Se um homem for consertar sua geladeira, outra irmã tem que estar por perto, pois não poderia ficar com um homem dentro de casa. Cortar os cabelos seria um pecado ainda maior. Ler a Bíblia era coisa rara, agora é que estou conhecendo a Bíblia; nem sei onde procurar os livros. E hoje vejo que somente os humildes ignorantes é que aceitavam aquelas coisas todas. Vivem sob ameaças, sob medo. Muitas mulheres apanham e fica por isso mesmo. Porque mulher não tem vez. Têm que ser submissas até às ultimas conseqüências. Agüentam caladas as surras, as humilhações. Se não tem nada dentro de casa, têm que ficar assim mesmo, só orando.
Mas somente por medo é que permanecem dentro de uma igreja como essa”. (Fernanda Abreu – ex-CCB).

A manipulação evolui até ao ponto em que o recrutado policia a si mesmo e aos demais. Possui um sentimento de culpa muito acurado e está sempre pronto a denunciar outros membros. São proibidos de visitar outras igrejas e de ler literatura que critiquem a doutrina do grupo. Os erros de seus líderes são aceitos com naturalidade; se fizerem qualquer crítica ou até mesmo uma sugestão, serão considerados apóstatas e sujeitos ao terrível processo disciplinar.
Vejamos outro testemunho de dominação religiosa:

“Tais termos – “a verdade”, “verdadeira Igreja de Cristo”, “Corpo Governante” – servem como elementos facilitadores sempre que surgem questionamentos ou críticas ao sistema. “Não destrua a obra de Deus” e “não fale do Corpo Governante”, são recursos verbais táticos de intimidação [e ameaça] que funcionam como algemas atitudinais. Os pastores são conselheiros que empregam boa parte de seu tempo a tratar de falhas sérias, mesmo as de natureza íntima, pessoal, privativa, familiar, e assim por diante. O estilo de vida das Testemunhas quase nada tem de livre. É altamente regimentado e a consciência individual obstruída pelos comandos de seu Corpo Governante de onde emana a maior parte das proibições existentes. Elas agem quais grilhões do direito ao exercício da liberdade que a verdade de Cristo proporciona” (Cid de Farias Miranda e William do Vale Gadelha, em A Verdade Sobre as Testemunhas de Jeová”, páginas 303, 386).

“O mais potente controle emotivo é o doutrinamento à fobia. Isto pode levar a pessoa a reagir com pavor somente ao pensar em abandonar o grupo. É realmente impossível para um membro imaginar viver fora do grupo. Não existe nenhuma arma real apontada contra a cabeça deles, mas uma arma psicológica não tem um poder menor. O controle das fontes de informação individual. Privando uma pessoa das informações necessárias para alcançar um juízo objetivo, faz com que ela não tenha a capacidade de consegui-lo. As pessoas são enredadas pelas seitas porque vem-lhes proibindo o acesso às informações críticas que precisam para avaliar corretamente a situação. As correntes psicológicas que amarram as mentes deles são poderosas como verdadeiras correntes que os prendem longe da sociedade. O processo psicológico é tão forte que destrói os mecanismos de funcionamento interiores para elaborar as informações criticas às quais são expostos” (http://xenu.freewinds.cx/pt/forme_contr.htm).

Sua mente está sendo controlada?

“Embora as seitas sejam diferentes em seus sistemas de crença, todas elas usam as mesmas técnicas de controle mental. O propósito deste artigo é permitir-lhe testar a si mesmo para saber se você é uma vítima dessas conhecidas técnicas de alienação. Nas seguintes questões não tratamos de nenhum grupo religioso específico. Pelo contrário, as informações abaixo foram coletadas visando muitos grupos, todos conhecidos por usar técnicas de controle da mente em seus membros. Deve-se notar, ainda, que essas questões não estão limitadas simplesmente a grupos religiosos. Atualmente existem também muitos grupos políticos, de negócios e seculares, não-religiosos, que empregam técnicas de controle mental em seus participantes”.
Você está sendo manipulado? Faça o teste abaixo. Responda com sinceridade.

Teste

• Você se sente como se tudo que você faz de bom para o seu grupo, não importa o quanto você se esforce, nunca é o bastante? E como resultado disso, você costuma sentir culpa?
• O que o motiva? É um genuíno amor por Deus, pelo seu grupo, etc., ou é medo de não atender aos padrões desejados?
• Questionar o grupo ou os seus líderes é algo desencorajado ou mal visto?
• O grupo ao qual você pertence acredita que é uma elite, uma organização exclusiva que detém, sozinha, “a verdade” e as respostas para as questões da vida?
• O seu grupo ridiculariza, ataca ou caçoa de outras igrejas cristãs e de sua interpretação da Bíblia?
• A leitura de literatura que critica o grupo é desencorajada? Muitas seitas advertirão os seus membros para não ler qualquer coisa que critique o grupo, especialmente se escrita por algum ex-membro (que recebe nomes como “apóstata” “endurecido” ou “do diabo”, etc.). Essa é uma técnica de controle bastante conhecida, que impede o membro de descobrir os erros claros e documentados da seita. Com isso a habilidade dos membros de pensar por si mesmos é totalmente anulada, e eles vão pensar cada vez mais como o restante do grupo.
• Dê uma olhada na aparência e no modo de agir do grupo. Todos se vestem, agem, e falam, mais ou menos, do mesmo jeito? Certo observador, falando sobre seu particular envolvimento com uma seita, disse que o grupo encorajava os seus membros a “fazer tudo exatamente do mesmo modo – orar do mesmo jeito, parecer igual, falar do mesmo modo. Isso, em psicologia, é um clássico exemplo de conformidade grupal. Seu propósito é garantir que ninguém tente agir de modo diverso ou se torne dissidente, para que ninguém questione o status quo.” (Andrew Hart, Jan. de 1999).
• O grupo desencoraja a associação com não membros (exceto, talvez, se houver a possibilidade de convertê-los ao grupo)?
• O grupo lhe dá respostas do tipo “preto ou branco”: aquilo com o quê o grupo concorda é certo, e aquilo de quê o grupo discorda é errado?
• Todas as pessoas do grupo acreditam exatamente nas mesmas coisas (ou seja, no que os líderes do grupo mandam acreditar)? Não existe espaço para crenças individuais ou opiniões, mesmo em áreas de menos importância?
• O grupo tem “duas caras”: por um lado, se mostra a possíveis convertidos e ao grande público como um grupo de pessoas que são como uma grande família, cheia de amor e igualdade, mas, na verdade, o grupo tem muitos membros que se sentem intimamente não satisfeitos e emocionalmente esgotados?
• Você já tentou desativar a sua capacidade, dada por Deus, de pensar criticamente, deixando de lado várias dúvidas sobre o grupo, os ensinamentos dele, etc.?
• Aqueles do grupo que não se conformam às exigências dos ensinos do movimento são tratados com suspeição, como se fossem membros de “segunda-classe”?
• O grupo tende a ocultar certas informações a potenciais convertidos? As doutrinas menos comuns do grupo não são discutidas até que um indivíduo esteja mais profundamente envolvido no movimento?
• Você sente medo de deixar o grupo? Muitas seitas usam táticas sutis de terror para impedir os seus membros de deixá-las. Por exemplo, o grupo pode dizer que aqueles que desertarem serão atacados pelo Diabo, sofrer um acidente terrível, ou, no mínimo, não vão prosperar, porque eles deixaram “a verdade”.
Se você respondeu SIM à maior parte das questões acima, o grupo em que você está engajado está certamente empregando técnicas de manipulação mental.
Agora que você sabe disso, o que fará?
1. Você precisa perceber que, qualquer que seja o grupo de que você é parte, ele não tem o monopólio de Deus. Para muitos dos que estão em seitas que utilizam controle da mente, deixar o movimento é geralmente considerado o mesmo que deixar o próprio Deus e perder a salvação. Porém, a verdade é que há cristãos em todas as denominações que encontraram a salvação em Cristo apenas, e não na igreja ou no grupo. Muitos que estão presos em um sistema religioso espiritualmente prejudicial sentem como se não tivessem nenhum outro lugar para ir, mesmo se eles realmente conseguirem se desvincular do grupo.
A resposta se encontra no que Jesus disse no Evangelho de Mateus 11:28: “Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei.”
2. Você precisa deixar o grupo. Pode ser difícil, mas, se você continuar lá, só será prejudicado: mental e espiritualmente. Você também estará contribuindo com um sistema que, em seu coração, sabe estar errado. Não deixe o orgulho impedi-lo de deixá-lo.
3. Não pense que você vai ficar sozinho quando decidir sair. Há muitas pessoas que passaram pela mesma situação. Elas vêm de vários grupos religiosos, mas foram todas vítimas da mesma dominação das técnicas de controle mental. Hoje, muitas delas estão vivendo vidas de liberdade, segurança e esperança. Para obter encorajamento, você poderá ler algumas das histórias disponíveis neste e em outros sites ligados a este.
Teste extraído de: www.christiananswers.net/portuguese/evangelism/
beliefs/test-mindcontrol-p.html

www.palavradaverdade.com
24.10.05

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *