Manifestações Espirituais – Unção do Cachorro e do Leão

Há algo muito extravagante acontecendo. Uma onda de “unção” tem surgido aqui e ali. Receber unção está na moda. Antes de analisarmos à luz da Palavra de Deus, vamos ver algumas dessas manifestações.

UNÇÃO DO CACHORRO – Nesse vídeo, as pessoas que recebem a unção imitam os cachorros no seu andar e latido (au, au, au). O próprio líder anda de um lado a outro com uma corrente ou corda amarrada a uma coleira para não escapar ao controle do seu “dono”. Ocorreu em outro país, mas não é de se estranhar que seja exportado para o Brasil, como aconteceu com a unção de Toronto. Veja o link:

http://kedsonni.blogspot.com/2008/10/uno-do-
cachorro-mais-uma.html

UNÇÃO DO LEÃO – Nesse vídeo, a cantora, antes de se apresentar, caminha alguns minutos no palco ou púlpito como se fosse uma leoa. As mãos e os joelhos fazem a função das patas do animal. Os trejeitos do corpo, o giro da cabeça, o abrir da boca, em tudo a usuária da unção se esforça para que a imitação seja perfeita. O link:

UNÇÃO DO RISO – Essa brincadeira de mau gosto com a santa Igreja de Cristo é patrocinada por Kenneth Hagin. Em determinado momento, ele coloca a língua para fora, impõe as mãos sobre os presentes e muitos começam a rir, rir a toa, rir de forma descontrolada por tempo indeterminado. A Palavra é esquecida. O importante é imitar o “mestre” Kenneth e apreender a nova unção.

Examinemos. A unção é apresentada como uma capacitação, um dom.

A Bíblia diz que “a manifestação do Espírito é concedida a cada um visando a um fim proveitoso” (1 Co 12.7). Pergunto: qual a utilidade da unção de cachorro, unção do riso e do leão para o usuário e para a igreja? O “fim proveitoso” dos dons espirituais legítimos está bem definido na Palavra. Por exemplo, a profecia objetiva edificar, exortar e consolar; o falar em língua edifica o detentor do dom (1 Co 14. 3,4). A interpretação de línguas edifica a igreja: “SEJA TUDO FEITO PARA EDIFICAÇÃO” (1 Co 14.26).

O rastejar como serpente; uivar ou latir como um cachorro; andar e rugir como um leão; rir como se estivesse numa palhaçada circense; pular, gritar, balançar e rodopiar freneticamente como se em estado de possessão, isso pode ser considerado genuína e legítima manifestação do Espírito, segundo os parâmetros bíblicos apresentados?

Consideremos essas duas recomendações do apóstolo: “Porque Deus não é de confusão, e sim de paz. Como em todas as igrejas dos santos. Tudo, porém, seja feito com decência e ordem” (1 Co 14.33, 40).

Como podemos falar de paz, decência, ordem e edificação em meio a uma cachorrada, onde muitos latem, outros imitam macacos, cachorros e leões? Ora, os dons espirituais legítimos são os catalogados em 1 Coríntios 12.1-11; 14.1-40. Esses dons são dados pelo Espírito. Não são transferidos de um usuário para outro. É dado a cada um conforme a necessidade da igreja e soberana vontade do Espírito: “Mas um só e o mesmo Espírito realiza todas estas coisas, distribuindo-as, como lhe apraz, a cada um, individualmente” (1 Co 12.11).

O apóstolo dos gentios diz que devemos procurar, “com zelo, os melhores dons” (1 Co 12.31; 14.1). Pergunto: O melhor dom ou a melhor unção é a do cachorro ou do leão? A Igreja do Senhor é o local mais apropriado para isso? Ou o melhor local seria um canil ou um circo?

A intenção do diabo sempre foi a de denegrir o homem, feito à imagem e semelhança do Criador. A “unção de animais” é uma imitação grosseira da Unção divina, a verdadeira unção recebida de Cristo:

“Vós tendes a unção do Santo e sabeis tudo” (1 Jo 2.20).

Os filhos de Deus receberam uma unção da parte de Cristo, a saber: o Espírito Santo, através do qual conhecemos a verdade (Jo 1.12; Jo 20.22; 1 Co 6.19; 1 Jo 2.20). É possível que haja santidade em quem rasteja como uma víbora, late como um cão, ruge como leão, dá gargalhadas e rodopia de forma descontrolada? É possível imaginar que tais pessoas sejam habitação do Espírito Santo?
31.01.2009
http://www.palavradaverdade.com/print2.php?codigo=3010

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *