Homossexualismo é Pecado?

CONSULTA – Gostaria que me esclarecesse um assunto. Se o homossexualismo é pecado por que Deus permite esse sentimento tentador dentro de nós? Isso não é uma opção, e sim uma condição. Luto contra esse sentimento desde meus 14 anos; tenho 25 e sou uma pessoa infeliz porque não posso viver aquilo que está dentro de mim. Tento ser temente a Deus, mas esse sentimento está sempre em mim. O que devo fazer? Isso é pecado mesmo? Seguir nossa felicidade é pecado?

RESPOSTA – O homossexualismo é pecado. Leia os seguintes textos: Gn 19.4-9; v 20.13; Dt 23.17; 1 Rs 14.24; 1 Tm 1.10; 1 Co 6.9-10; Gl 5.19-21 (prostituição, impureza, lascívia); Ef 5.3-5 (fornicadores, impuros). Leia meu artigo DEUS CRIOU MACHO E FÊMEA.

Leia o que o apóstolo Paulo escreveu: “Mudaram a verdade de Deus em mentira, e honraram e serviram a criatura do que Criador, que é bendito eternamente. Amém. Pelo que Deus os abandonou às paixões infames. Porque até as suas mulheres mudaram o uso natural, no contrário á natureza. E, semelhantemente, também os varões, deixando o uso natural da mulher, se inflamaram em sua sensualidade uns para com os outros, homem com homem, cometendo torpeza e recebendo em si mesmos a recompensa que convinha ao seu erro” (Rm 1.24-27).

Em resposta à sua pergunta, digo que após criar o homem Deus disse que Sua criação era muito boa (Gn 1.27, 31). Seria incompatível com a Sua perfeição e bondade criar um homem ou uma mulher com tendências homossexuais. Depois de fazer o homem, Deus fez para ele uma mulher. Deus instituiu o casamento do HOMEM com uma MULHER.

A degenerescência da raça humana decorreu da queda do homem, isto é, de sua rebeldia contra o Criador. Portanto, somos propensos ao mal; possuímos uma inclinação para o mal, para a rebeldia (Êx 32.22).

Deus estabeleceu um plano de salvação para todos. É possível ao homem sair vitorioso ante as tentações, que não se restringem ao homossexualismo. Há outras tentações: inveja, bebedice, orgias, orgulho, idolatria, adultério, etc. A atuação do Espírito Santo na vida do homem que se entrega a Jesus e aceita o plano de Deus faz com que ele tenha domínio próprio (Leia Gálatas 5.16-26).

A nossa felicidade deve consistir em fazer a vontade do nosso Criador. Nunca deve prevalecer a nossa vontade, mas a vontade daquele que nos amou primeiro: “Venha o teu reino, seja feita a tua vontade” (Mt 6.10). Andávamos em nossos desejos carnais, mas Deus nos deu nova vida em Cristo Jesus (Ef 2.1-7). Jesus deu o exemplo ao afirmar que “não busco a minha vontade, mas a vontade do Pai que me enviou” (Jo 5.30).

Medite no seguinte: Jesus não aprovou uma relação adúltera entre homem e mulher. Ele não apedrejou a mulher, como queriam escribas e fariseus, mas aconselhou-a a não continuar em pecado (Jo 8). Ele disse que “qualquer que olhar para uma mulher com intenção impura, no coração já cometeu adultério com ela” (Mt 5.28). Diante disso, a consulente acredita na hipótese de Jesus aceitar uma relação homossexual? Ele afirmou ainda ser melhor fazer um sacrifício pessoal agora, do que receber uma condenação eterna (vv. 29, 30). Com essas palavras, Jesus disse que o castigo corporal é mais fácil de suportar do que o castigo eterno. Esse sacrifício a consulente já vem fazendo há anos, e necessita continuar. Para isso, precisa consagrar-se ao Senhor, e rogar-Lhe, com muita oração e jejum, que a livre dessa tentação.

O “sentimento” homossexual que há anos aflige a consulente é um sentimento pervertido e perverso, pois a arrasta para o uso inatural do sexo, “contrário à natureza” (Rm 1.26, 28). Portanto, não pode ser um sentimento da parte de Deus.
Leia os testemunhos que estão postados neste site, na seção TESTEMUNHOS. Lá também há orientação para quem deseja livrar-se do homossexualismo.

Pastor Airton Costa
08.03.05

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *