EDIR MACEDO FAZ APOLOGIA DO ABORTO

Vídeo de Edir Macedo:
http://www.youtube.com/watch?v=w1ebd-we2R8

Áudio – Senha: jas001
http://www.4shared.com/account/audio/TR260Jm3/EDIR_
MACEDO_FAZ_APOLOGIA_DO_AB.html

Leiam o que ele disse:

“Adoro falar de aborto e planejamento familiar. Não para contrariar a Igreja Católica, mas para levar as pessoas a uma vida de melhor qualidade: menos violência, menos morte, menos mortalidade infantil, menos doenças. Enfim, menos todo mal que nós temos visto em nossa sociedade”.

“Quando nós adotamos essa política, essa doutrina – que é até colegas de outras igrejas e até de dentro da minha igreja condenam esta minha posição, mas eu bato mesmo nessa tecla. Um repórter da Folha me perguntou seu eu não tinha medo de perder membros por ter essa posição, que é contrária à posição da maioria. Falei que não estou me importando em perder membros. A Igreja Universal não é um clube social. Quem quiser ser abençoado; quem quiser se dispor a dar a sua fé; colocar a sua vida diante de Deus será beneficiado; quem não quiser, tenha paciência”.

“Não estou disputando membros. Não trabalho para encher igreja. Trabalho pela qualidade, não pela quantidade”.

“O que é o aborto? A falta de planejamento familiar tem provocado problemas. Os pobres é quem tem filhos. Quem tem dinheiro tem um ou dois filhos, no máximo três. Qual a pessoa que tem dinheiro e tem uma prole [numerosa]? Porque sabem que poucos filhos, poucos problemas. Meninas estão dando à luz a três por dois em todo o mundo”.

“Quando você casa você entra num empreendimento; quando você tem um filho, você tem outro empreendimento. A criança é uma criatura que vai crescer e trazer conseqüências. Quando você tem uma criança sem pai, qual o futuro? Não há futuro para nossos filhos, nem aqui, nas cidades grandes, quanto mais no Exterior”.

“As crianças estão gerando filhos por falta de orientação, por falta de uma série de fatores. Essas crianças [as que nascem], o que elas serão?”.

“Vocês sabem que a criança é o fruto do amor de duas pessoas. Ela necessita do amor da mãe e do pai. Os dois precisam estar presentes na vida das crianças. Assim [quando falta estrutura familiar], ela [a criança] cresce revoltada. Quando se revolta, elas se volta contra os pais, contra a sociedade, contra todo mundo. Duvido que alguma possa pensar o contrário”.

“Pergunto: o que é melhor? Um aborto ou uma criança mendigando, vivendo no lixão? O que é melhor?”.

“A Bíblia fala que é melhor a pessoa não ter nascido do que nascer e viver num inferno”.

“Eu sou a favor do aborto, sim. E digo isto alto e bom som, com toda a fé do meu coração, e não tenho medo de pecar. Se estou pecando, eu cometo este pecado consciente”.

“É uma questão de inteligência; questão de razão”.

“Em Nova Iorque, depois que foi aprovada a lei sobre o aborto [que o aborto foi liberado], a criminalidade diminuiu assustadoramente. Porque deixou de nascer crianças revoltadas. Criança revoltada é uma arma contra nós. É uma arma contra a sociedade. FEBEM vai resolver? Conselho vai resolver?”.

“Sou a favor do aborto, do planejamento familiar. Se os pastores da nossa igreja quiserem fazer vasectomia, nós pagamos”.

“Minha mãe teve trinta e três filhos. Por causa das dificuldades, abortou dezesseis. Sobraram dezessete; morreram dez, ficaram sete. Nem por isso ela deixou de estar com Deus”.

“O aborto não faz diferença. É preferível abortar do que ter a criança saudável, mas criando problemas, para sair mendigando, comendo o pão que o diabo amassou e sendo nociva à sociedade”.

“Esse é o meu pensamento. Se alguém me condena por isso, paciência. Se as pessoas não aceitam, paciência”.

Transcrição: Pr. Airton Evangelista da Costa
15.10.2010

Nota do pastor Airton:
Poucos cristãos, sejam católicos ou evangélicos, concordam com a “doutrina da morte” do sr. Edir. Com essa doutrina, ele teria descoberto a solução, via morte de indefesas e inocentes crianças, de todos os males da sociedade. Na verdade, é uma insanidade pensar desse. Fiquei perplexo em ver um pastor de uma grande igreja fazer apologia ao crime. Aborto é infanticídio qualificado, posto que envolve crueldade sem limites contra pessoas que não pediram para serem geradas. E não podem ser responsabilizadas pelos males deste mundo, pois nem ainda não vieram à luz. O sr. Edir deve ser a favor de matar a criança após o seu nascimento. Qual a diferença entre matar o bebê no ventre ou matar depois de nascer? Nenhuma. Se podemos matar outra pessoa, deveria o sr. Edir Macedo sugerir a matança de todos os pobres. O governo faria uma fenomenal economia; Por que não matar todos os velhinhos para resolver o problema de deficit da Previdência? Causou-me nojo ouvir tamanha insanidade de um pastor que prega a fé e o amor. E diz que, se contribuirmos financeiramente para a obra do Senhor, seremos prósperos e nada nos faltará? E se tivermos muitos filhos, o dízimo não funciona?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *