Devemos orar somente “no monte”? Ou: A oração no monte produz melhores resultados?

Deus ouve nossas orações ainda que estejamos no interior de um peixe, como aconteceu com Jonas (Jn 2.1-2). Não há uma só recomendação bíblica no sentido de que busquemos os montes para fazermos nossas petições.

Deus onipresente pode ser encontrado em qualquer lugar. Às vezes precisamos dizer o óbvio. O Senhor está muito perto dos seus filhos. Aliás, diga-se, Ele está em nós. Jesus confirma: Mas tu, quando orares, entra no teu quarto, e, fechando a tua porta, ora a teu Pai que está em oculto. E teu Pai, que vê secretamente, te recompensará” (Mt 6.6).

Os que se sentem satisfeitos e recompensados em orar nos montes, glórias sejam dadas ao Senhor. Os que se sentem melhor orando em seu quarto, a portas fechadas, glórias ao Senhor. Desde que suas orações atendam ao requisito básico de sinceridade e verdade (Jo 4.24; Jr 29.13).

Hábitos e tradições não podem prevalecer sobre a Palavra de Deus. Não podem se transformar em doutrina. Se a oração no monte fosse indispensável à plenitude da vida cristã, coitados dos deficientes físicos com dificuldade de locomoção; dos idosos com saúde precária; dos que moram em planície ou em qualquer região em que seja muito difícil encontrar um monte para orar. Estariam esses em situação precária? Suas orações teriam pouca eficácia?

A mulher samaritana disse a Jesus: “Nossos pais adoravam neste monte, e vós dizeis que é em Jerusalém o lugar onde se deve adorar”. Jesus esclareceu: “Mulher, crê-me que a hora vem, em que nem neste monte nem em Jerusalém adorareis o Pai. Mas a hora vem, e agora é, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade” (Jo 4.20-23).

31.12.2014

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *