Devemos guardar o sábado ou o domingo?

Consulente: A Lei está na antiga aliança e lei que também está foi encerrada na cruz.

Resposta: Diante dessa afirmação, nada haveria mais o que esclarecer.

Consulente:
Paulo, o Apóstolo, faz essa distinção:
Romanos 7:12- Lei Moral
Efésios 2:15 – Lei Cerimonial
Gálatas 3:11 e Romanos 2:13 Contradição?? Não
Justificação é mérito da Lei?? Não. Mérito de Jesus.

Resposta: A distinção Lei Moral e Lei Cerimonial não está nesses versículos. Vejamos:

Rm 7.12 “Assim, a lei é santa; e o mandamento, santo, justo e bom”. O propósito do Apóstolo é mostrar que a lei, no todo ou em parte, é santa, justa e boa. Quando Jesus disse que não veio destruir a lei, não fez distinção. Ele se referiu à lei mosaica.

Ef 2.15 “Lei dos mandamentos que consistia em ordenanças”. Aqui tudo está englobado. Não se pode dizer que está falando só de cerimônias. Ademais, seja o sábado ordenança ou lei ele foi SOMBRA das coisas futuras, posto que a salvação mediante o concerto do Antigo Testamento foi cravada na cruz, ou seja, abolida (Cl 2.14-17). Ficou bem claro no meu estudo “A Guarda do Sábado” que os “sábados” de Colossenses 2.16 se refere aos sábados semanais, tese também defendida pelo eminente adventista Dr. Samuelle Bacchocci. A Bíblia diz que não estamos mais debaixo da LEI, mas debaixo da GRAÇA (Rm 6.14). Morremos para LEI (Rm 7.4). Aqui o sentido é geral e não se fala em lei cerimonial.

Gálatas 3.11: “Pela lei ninguém será justificado diante de Deus, porque o justo viverá pela fé”. Muito claro. A partir de Cristo, não somos justificados pelo cumprimento da lei. Aliás ninguém conseguiu ser justificado dessa forma, por isso a Escritura encerrou todos debaixo do pecado (Rm 3.23).

Rm 2.13 : “Porque os que ouvem a lei não são justos diante de Deus, mas os que praticam a lei hão de ser justificados.” Aqui Paulo não emprega o termo “lei” no sentido de um sistema de estatutos que a pessoa poderá cumprir e merecer a sua salvação. Se fosse assim, estaria em contradição em várias outras afirmações. “Lei”, aqui, representa a vontade de Deus revelada à raça humana. Meramente ouvir a Palavra de Deus, de nada aproveita sem a fé, a submissão e a obediência a Deus. É preciso obediência e fé. Não há contradições na Bíblia. A Lei a que estamos sujeitos é a Lei de Cristo revelada na Nova Aliança. Esqueçamos a Antiga Aliança que, conforme diz a Bíblia, caducou, envelheceu e serviu apenas como condutora até que viesse a fé.

Consulente:
Quem diz que guarda o domingo, na verdade não guarda nenhum dia. O senhor sabe disso melhor do que eu.

Resposta:
Concordo, e quem diz guardar o sábado não guarda nos moldes do Antigo Concerto, conforme demonstrei no ref. estudo. Então? Precisamos recorrer à graça (favor imerecido), porque não é por nossos méritos que somos salvos, mas pela fé e graça (Ef 2.8-9).

Consulente:
Porque os apóstolos se reuniam no domingo não quer dizer que foi mudado o dia do Senhor. Não há sustentação bíblica para isso. Nunca passou por sua cabeça porque eles reuniam-se no domingo. Será que não era pra fazer do dia anterior, o sábado.

Resposta: É como você diz, não vale o “será” o “acho”. A Bíblia diz que se reuniram. E só. Apenas pelo fato de haverem se reunido, e de haver o apóstolo João chamado o domingo de dia do Senhor, isso nos revela uma INTENÇÃO.

Consulente: Veja as citações:
Atos 13:13-14,42 e 44; Atos 16:13; Atos 17:2; Atos18:4 e 11. Só pra citar o livro de Atos. Nos outro dias da semana ocupavam-se com as atividades seculares também, mas no sábado somente pregavam ou seja faziam a penas a vontade de DEUS. A citação é clara.

Resposta:
Concordo que a citação é clara quanto às pregações no dia de sábado. Mas se eles se dirigissem às sinagogas nos domingos não encontrariam ninguém. Elas estariam fechadas. Como eles iriam pregar para os judeus não convertidos? Como que iriam dizer que circuncisão e sábados já não prevaleciam nos que são de Cristo? Tinham que ir mesmo no sábado. Jesus também fazia o mesmo. As ordenanças foram cravadas na cruz. Ademais,

Consulente:
A Ressurreição tem sua importância indiscutível. É doxologia. Porém, onde estava a citação que nos recomendar observar o domingo. O Papado usa essa tese para a guarda do domingo. Veja Daniel 7:25. Será cumplicidade?

Resposta:
Em nenhum lugar na Nova Aliança, sob a qual estamos, lemos qualquer ordenança para observar o domingo. Nisso concordo. Nunca disse o contrário. Se não existe a ordenança, não existe o pecado. Mas um dia em sete é necessário para descanso físico, e nesse dia adoramos o Senhor. Pode ser no sábado ou domingo. Mas a nossa salvação não está condicionada à observância desses dias. Nem podemos julgar [eis o pecado] os que livremente escolheram outro dia, seja domingo, sábado, terça-feira ou sexta-feira. A Igreja escolheu o domingo pelos motivos que você já conhece. O pecado consiste em achar que os que guardam o domingo estão em pecado e irão pro inferno. Não pensaram assim 250 destacados líderes adventistas que, há uns 50 anos, declararam que quem guarda o domingo não está pecando e que os escritos de Ellen G. White não podem ser considerados de valor igual aos da Bíblia. Disso decorreu um racha no adventismo.

Consulente:
Seria mais coerente da parte do senhor, pastor Airton, defender que não existe dia a ser guardado. O “eu acho” não vale para a Palavra. Veja I Pedro 1:20e21.

Resposta:
Não digo o contrário. Se não me fiz bem claro nesse artigo, fi-lo em “Sábado ou Domingo – A Opção Cristâ”, que lhe envio. Em A Guarda do Sábado me aprofundei mais.

Consulente:
Não defendo a Instituição acima da Palavra.
Mas a dependência dela pode calar convicções, mesmo sendo bíblicas. Creio que, como a Palavra diz, digno é obreiro do seu salário.

Resposta: Não entendi o seu pensamento.

Consulente: Creio que a salvação é pela graça. Como entender I João 2:4-7.

Resposta:
1 Jo 2.4 : “Aquele que diz: Eu conheço-o [conhecer a Cristo] e não guarda os seus mandamentos [os mandamentos de Cristo] é mentiroso…”

Em suma, o que o Apóstolo João diz nessa carta é que querer ser justificado mediante a fé em Cristo, sem o compromisso de segui-lo, significa fracasso. Pelo amor de Deus não confunda “guardar seus mandamentos” com “guardar os mandamentos da Velha Aliança”. Ele está falando de Cristo Jesus (v. 1). Quando ele diz não vos escrevo mandamento novo, mas o mandamento antigo, não está se referindo aos da Antiga Aliança. Está se referindo aos mandamentos da Nova Aliança, expressos em seu Evangelho. Ele fala do mandamento do amor cristão, princípio da fé cristã. É bom lembrar que o “Não matarás” e “Não adulterarás” sofreram alterações com as Boas Novas.

Consulente:
Diante desse tema, ao longo do tempo temos evoluído. Antes defendia-se ser desnecessário a observância de Mandamentos.

Resposta: Quem, quando? Nos tempos do Antigo Testamento?

Consulente: Hoje admite-se observar nove. Melhoramos muito.

Resposta: Quem, como? Não estamos debaixo da lei, mas da graça. A nossa salvação não se condiciona à observância dos mandamentos da Antiga Aliança. Ninguém, hoje e ontem, consegue ou conseguiu cumpri-los na sua totalidade. Por isso veio a graça. No que foi ratificado na Nova Aliança, sim. Os princípios éticos e morais foram preservados na Aliança em Cristo Jesus, sob a qual estamos. A guarda do sábado ficou de fora. Levítico 23 inclui o sábado dentre as solenidades, como a Páscoa, Tabernáculos, Pentecostes, Primícias, Dia da Expiação. Todos caíram com exceção do sábado? A Bíblia diz que o sábado foi SOMBRA das coisas futuras, mas a realidade é Cristo. Ele é o nosso descanso. Adoramo-lo todos os dias, em espírito e em verdade.

Consulente:
Passará mais um tempo e creio que a Lei será defendida e observada. Essa convicção virá através do Espírito Santo.

Resposta:
Qual lei? Se se refere à Lei de Cristo, consubstanciada na Nova Aliança, todos os cristãos observam. Se se refere à lei mosaica, já morremos para ela, aliás, morreram os que estão em Cristo.

Caro Pastor Airton. Nós não discordamos na essência de servir a Deus. Discordamos na forma. Sábado ou domingo. Fiquemos, por enquanto, com a essência que é Jesus e alinhemos nossa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *