Poesias

88.99.141.5

O Exemplo das Rosas

O Exemplo das Rosas SENTIMENTOS guardados no âmago da alma são mais autênticos do que palavras. Quão bom é um retorno ao jardim da vida, à alegria da vida. Quando tudo sugere sombras, quando somos incompreendidos em nossas fraquezas, que tal uma aproximação com as rosas? Silentes, belas e tênues,

O TROVADOR

O TROVADOR Sonhei que eu era um dia um trovador… Cantei em noites enluaradas Em noites frias de seresta Ao som da plangente viola Cantei e cantei meu amor Minha saudade cantei Cantei minhas mágoas Em delírio de alma Em soluços cantei Madrugada a fora À noite cantei À minha

Ah! Quem me dera

Ah! quem me dera Pastor Mauro Jaques Quem dera envelhecer e sempre manter o humor contagiante dos áureos tempos de adolescência, com riso fácil, me agarrando aos relacionamentos ingênuos, à generosidade. Envelhecer livre para dizer: meu Deus eu te amo e não ser censurado, e mesmo sendo censurado, dizer: meu

Navio Negreiro

CASTRO ALVES Últimos versos de “Navio Negreiro”. Ouçam o gemido desse poeta diante da monstruosa escravatura. Hoje, a escravidão continua com outros nomes e novas ambições. Ontem plena liberdade, A vontade por poder… Hoje… cúm’lo de maldade, Nem são livres p’ra morrer. . Prende-os a mesma corrente — Férrea, lúgubre

A Flor do Maracujá

Catulo da Paixão Cearense Encontrando-me com um sertanejo Perto de um pé de maracujá Eu lhe perguntei: Diga-me caro sertanejo Porque razão nasce roxa A flor do maracujá? Ah, pois então eu lhi conto A estória que ouvi contá A razão pro que nasci roxa A flor do maracujá Maracujá