Beijo no coração

Ouve-se aqui e alhures esse tipo de saudação, semelhante à do beijo na alma. Desde então comecei a meditar no caso. O que leva uma alma a desejar beijar outra alma? Alma e coração se confundem nessa saudação fraternal. Que sentimentos povoam mente e coração para expressar tão nobre e ao mesmo tempo tão singela saudação? Oh mistérios insondáveis!

Somente quem compõe o mesmo Corpo Místico de Cristo pode, com sinceridade, saudar desse modo. É a comunhão no Corpo que impulsiona o desejo de sermos UM, como Cristo é UM com o Pai.

Considero que o beijo no coração ou na alma é a expressão máxima desse sentimento entre irmãos. Oh gemidos inexprimíveis do Consolador, fonte inesgotável de amor, misericórdia e socorro. Que sejamos assim sempre tocados por Ele, para ousarmos expressar de forma simples e gentil o grande amor que nos une.

Quantos – milhões? – não podem fazer o mesmo. Seus corações estão petrificados pelo orgulho, inveja, ressentimentos. Não podem e não conseguem fazê-lo. Todavia, os regenerados fazem-no com a simplicidade e a beleza de uma rosa, sem nenhum esforço. É fruto do Espírito.

Por longo tempo rejeitei esse tipo de saudação. Mas agora penetro fundo no seu significado. É simples: temos a mente de Cristo. Não vivemos sozinhos. Cristo vive em nós.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *